A Copa vai começar! Conheça a história da Rússia, sede da competição

Por SOMOS Educação

A Copa do Mundo começa na próxima quinta, 14, na Rússia. A partir dessa data, 32 seleções passearão por 11 cidades para disputar o cobiçado título mundial. Além de acompanhar os jogos, claro, na torcida pelo Brasil, a competição é uma boa oportunidade para saber um pouco mais desse que é considerado o maior país do mundo em extensão territorial, cobrindo mais de um nono da área terrestre.

A Rússia possui mais de 17 milhões de km² e faz parte de dois continentes, o Leste Europeu e o Norte da Ásia. Seu gigantismo também pode ser observado pela diferença que existe no horário pelo país: há 11 fusos horários diferentes!

Presente na lista dos dez países mais populosos do mundo, a Rússia tem cerca de 147 milhões de habitantes, com maior parte deles residentes na área europeia do país.

Rússia e as grandes mudanças no século XX

Até chegar aos holofotes do mundo como sede da Copa em 2018, o país viveu grandes mudanças, muitas delas ocorridas no decorrer do século XX.

No início desse período, o Império Russo (1721 – 1917) era considerado um dos mais poderosos do mundo. Em 1913, sua riqueza era calculada em quase 260 bilhões de dólares.

Até a 1ª Guerra Mundial, no ano de 1914, a Rússia figurava na lista das “Grandes Potências” do continente europeu, na época com o maior exército do mundo, composto por mais de 5 milhões de homens.

Durante o conflito, o império russo se uniu à França e Inglaterra na Tríplice Entente para enfrentar a chamada Tríplice Aliança, então formada pela Itália, Alemanha e o império Áustro-Húngaro.

A sua participação no conflito foi catastrófica. Além da morte de grande parte de seus homens e perda territorial, houve a paralisação da indústria e dos demais setores econômicos na região. Somente em 1917, através da assinatura do Tratado de Brest-Litovsk com as potências que formavam a Tríplice Aliança, a Rússia marcou fim ao envolvimento na 1ª Guerra Mundial.

Revolução Russa

No mesmo ano, a insatisfação popular, a pobreza e o acentuado declínio da economia na região motivou a Revolução Russa, também conhecida como revolução Bolchevique, liderada por Vladimir Lênin. O conflito derrubou o Czarismo e adotou o sistema socialista de economia estatal e planificada.

A revolução durou cinco anos até que, em 1922, foi fundada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). A nova força mundial almejava expandir o socialismo pelo planeta e erradicar o capitalismo que, por sua vez, era o sistema ideológico, político e econômico praticado pelos Estados Unidos, e que também planejava difundi-lo.

Foi mais um período de disputas, dessa vez indiretas e mais estratégicas, que ficou conhecido como Guerra Fria.

Dois anos após a fundação da URSS, em 1924, com a morte de Lênin, assume o poder Josef Stalin, que substitui o comunismo livre, até então praticado, pelo comunismo ditatorial. O sistema acelerou o processo de modernização econômica e industrialização do país, embora ainda sua população permanecesse em extrema pobreza.

Fim da URSS e independência russa

Nos anos seguintes, o capitalismo avançou pelo mundo e a URSS se enfraqueceu. Na década de 80, o então líder soviético Mikhail Gorbachev tentou reformar o Estado com suas políticas de reestruturação econômica (Perestroika) e de liberdade de expressão (Glasnost), mas o colapso total do sistema era questão de tempo.

Em 1991, com o fim da Guerra Fria, a URSS é dissolvida, A Federação Russa torna-se independente, dando origem a Rússia. No mesmo ano, assume o poder Boris Yeltsin, escolhido através da 1ª eleição direta na história do país.

Mais dificuldades e Putin no poder

Até 1999, a Rússia mergulhou ainda mais na crise. O país passou por graves retrações econômicas e sociais. O quadro trouxe crescimento nos índices de mortalidade, agravados pelo aumento dos ataques terroristas contra civis. Foi nesse caos que o presidente Yeltsin renuncia e assume o poder pela primeira vez o primeiro-ministro Vladimir Putin.

Apesar de ser acusado de líder não democrático, Putin desfruta de grande popularidade, principalmente pelo fato de, em seu governo, o país vivenciar a retomada do crescimento, sob influência da alta do petróleo e da chegada de investimento internacional.

O líder russo, inclusive, venceu mais uma vez as eleições ocorridas em março deste e ano. Agora, conduzirá o país pelo menos até 2024. É ele quem deve oficializar a abertura da competição, no próximo dia 14, no Estádio Luzhhniki, na capital Moscou.

Quer ficar por dentro dos principais temas da atualidade? Veja mais em https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza.

Foto: Depositphotos

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *