Aulas a distância influenciam comportamento dos alunos?

Por SOMOS Educação

Um aluno participativo em sala de aula muda o comportamento durante as aulas virtuais? E o aluno mais reservado é capaz de se sentir mais à vontade?

Segundo a terapeuta infantil Ana Carolina Marques, em entrevista ao Portal G1, em termos técnicos, elimina-se o “estressor” da escola e abre-se espaço para a autonomia dos alunos.

Outros pontos que favoreceriam um desempenho melhor no ensino a distância:

  • Alguns alunos afirmam se concentrar melhor sem barulho ou conversas
  • Pais que estão trabalhando de casa podem ter um acompanhamento maior das atividades dos filhos
  • Ensino on-line tem uma linguagem mais próxima da realidade de telas vivenciada pelos jovens
Aulas remotas podem ser benéficas pra alguns alunos

Estudantes tímidos relatam desempenho melhor e participação mais confiante nas aulas a distância

Os estudantes mais introspectivos – principalmente aqueles que têm acesso a internet de qualidade e a um ambiente adequado de estudos – podem ter um desempenho melhor e uma maior sensação de conforto no ambiente escolar virtual. 

Em relato à reportagem do G1, a aluna Ana Beatriz Souza, de 15 anos, que trocou de escola no Ceará no início deste ano, afirma que o medo de falar algo que soe constrangedor diminuiu com os chats virtuais. “Sou bem tímida, quando vejo muita gente ao redor fico com vergonha de falar alguma coisa errada. Nas aulas on-line posso pensar no que vou responder e, se aparecer algum imprevisto, posso colocar o microfone no mudo e abrir depois.”

Monitoramento dos pais

Com os pais em casa, alguns alunos se viram com horários para fazer as tarefas – e são vigiados nas “escapadinhas” durante o estudo. Com o  acesso ao que é publicado nas plataformas de ensino remoto, os familiares conseguem cobrar a execução das atividades.

Pais e filhos em casa – maior monitoramento na educação

De acordo com a doutora em educação Telma Vinha, professora do departamento de psicologia educacional da Unicamp, o monitoramento dos pais tem o lado bom de trazer uma rotina para estas crianças, mas pode se tornar ruim se os adultos passarem a fazer as tarefas dos estudantes por falta de tempo ou paciência.

Ela sugere fazer uma “autorregulação” com os estudantes, estabelecendo limites e negociando prazos. “A ajuda dos pais é colocar o problema, ajudar na busca por soluções e combinar o prazo”.

REFERÊNCIA

https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/09/27/estudantes-timidos-relatam-desempenho-melhor-e-participacao-mais-confiante-nas-aulas-a-distancia.ghtml?fbclid=IwAR33jz1d3UddwwS8uNXUILnmm0ChsH752FBflRDzIM8WRtVvEn_MudRtJyw

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *