Catalunha tenta se tornar independente da Espanha

Por SOMOS Educação

O Parlamento da Catalunha, na Espanha, convocou para o próximo dia 1º de outubro um referendo que tratará da independência da região em relação ao país. Autônoma e com idioma próprio, falado pela maioria de sua população, Catalunha é considerada uma das regiões mais ricas do país, com economia que soma 19% do PIB espanhol.

A convocação popular, feita de forma unilateral, foi declarada ilegal e inconstitucional pela Tribunal Constitucional da Espanha, o que tem causado enorme divisão não só com o resto do país, como também entre os próprios catalães.

Desde a aprovação do referendo, o governo espanhol destacou para a região um grande contingente policial, que deteve dezenas de pessoas envolvidas com a organização da consulta popular, incluindo representantes do alto escalão do governo regional.

As operações policiais, por sua vez, também são alvo de muitos protestos. Milhares de manifestantes têm ido às ruas em Barcelona e em outras cidades da região para exigir o direito de votar no plebiscito, o que tem levado o país a uma crise política não vista há quatro décadas, quando da restauração de sua democracia.

Barcelona, capital da Catalunha

Caso o “sim” para a pergunta “Quer que a Catalunha seja um Estado independente sob a forma de república?” vença, o governo regional, nacionalista, conhecido como Generalitat, pretende declarar a independência.

Já a Carta Magna espanhola estabelece que a “soberania nacional prevalece sobre o povo espanhol”. Isso significa que uma parcela da população, como os cidadãos da Catalunha, não tem esse poder de decisão e nem autoridade para convocar uma consulta popular dessa importância. Na prática, caso aconteça, o referendo não será reconhecido.

A União Europeia também não apoia a realização do referendo. A UE pediu que a Catalunha respeitasse a decisão do Tribunal Constitucional e advertiu que só reconhecerá o resultado de um plebiscito se ele for feito dentro da legalidade.

Em meio a todo esse clima de tensão, é difícil prever o resultado do referendo. Uma pesquisa pública encomendada pelo governo local mostrou, em junho deste ano, que 49% dos catalães eram contrários à independência contra 41% favoráveis.

A enquete também indicou que 48% defendem que a consulta seja feita de qualquer forma, 23% que ela seja realizada apenas com o respaldo de Madri e 22% eram contra sua realização.

Foto: Shutterstock
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *