Como a matemática e a estatística atuam para compreender a saúde?

Por SOMOS Educação

Com a maior crise da saúde pública em 100 anos, números, estatísticas e projeções nos ajudam a compreender o cenário. Por meio de dados e gráficos, é possível perceber que há diferentes formas de se apresentar uma realidade que muda a cada instante. 

Nos jornais, os gráficos relacionados à pandemia chamam a atenção para evidenciar números de casos, mortes e ocupações de leitos. 

Como ler os gráficos da pandemia?

O mais conhecido é aquele que mostra a curva de transmissão – a qual se faz necessária “achatar”. Essa expressão há muito tempo é utilizada por epidemiologistas: uma curva epidêmica representa a progressão de um surto e, desse modo, reflete o número de pessoas que ficam doentes por um período determinado de tempo. Portanto, uma curva muito acentuada mostra que uma grande amostra de indivíduos está sendo diagnosticada na mesma época.

Contribuições da matemática

Para além dos gráficos, de acordo com o artigo The first epidemic model, a primeira contribuição da área para a epidemiologia é atribuída ao médico e matemático Daniel Bernoulli. Em abril de 1760, o cientista fez uma palestra na Academia Real de Ciências de Paris, na qual demonstrou as vantagens da inoculação contra a varíola – prática muito debatida na época.  

A partir daí, outros estudos surgiram. Foram pesquisas que apresentaram informações relevantes para a área da saúde, como identificar qual o risco de contaminação por uma doença a partir do número de casos registrados na população. Quanto a epidemias, percebeu-se que a transmissão avança constantemente em diminuição da velocidade, até atingir seu ponto mais alto – o chamado “pico” da curva. Quando isso acontece, ela começa a cair. 

Outra área da matemática importante nesse quesito é a biomatemática. Ela estuda, entre outras questões, o crescimento de populações de seres vivos perante o convívio com outros seres vivos. Ao mesmo tempo, a estatística vem trabalhando constantemente junto à área da saúde, colaborando, por exemplo, em estudos de efeitos de tratamentos em populações de controle e em problemas de epidemiologia

Fica evidente que saúde e matemática são compreendidas simultaneamente: uma pandemia é analisada, principalmente, por meio de números. 

Fotos: Divulgação

REFERÊNCIAS

https://www.pucrs.br/blog/simulacoes-do-futuro-como-a-matematica-e-a-estatistica-atuam-em-contexto-de-pandemia/

https://guiadoestudante.abril.com.br/estudo/fatores-levar-consideracao-graficos-pandemia/

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *