Conheça o perfil de vagas de emprego ocupados em 2017

Por SOMOS Educação

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho, revelaram que jovens do sexo masculino e com maior escolaridade foram os mais escolhidos para ocupar vagas de emprego geradas em 2017. De acordo com o levantamento, os jovens de até 24 anos e com nível médio completo ou ensino superior ganharam espaço no mercado de trabalho.

jovens do sexo masculino conseguiram mais empregos

Em 2017, o Caged aponta que esses trabalhadores mais jovens, com até 24 anos, foram beneficiados com 823,9 mil vagas de emprego, sendo o movimento de contratação maior do que o movimento de demissão. Para os trabalhadores acima de 25 anos, entretanto, o que ocorreu foi o movimento inverso, com as demissões superando o número de contratações. No ano passado, para quem passou dessa idade, foram fechadas quase 845 mil vagas no mercado de trabalho. Na faixa entre 50 e 64 anos, também houve mais demissões do que contratações – quase 380 mil.

Com relação ao gênero, o levantamento destaca que a criação de empregos no ano se concentrou em profissionais homens. Enquanto 2017 terminou com o fechamento de 42,4 mil vagas de trabalho com carteira assinada ocupadas por mulheres, houve 21,6 mil novas vagas para o sexo masculino.

Ocupações

No que diz respeito ao perfil das ocupações, as que mais geraram vagas de trabalho em 2017 foram para funções de alimentador de linha de produção (90,2 mil empregos novos), faxineiro (34,3 mil) e atendente de loja e mercado (26,9 mil).

Já no ranking de fechamento de vagas, as funções que mais demitiram foram de pedreiro (-31,8 mil), supervisor administrativo (-26,9 mil) e gerente administrativo (-22,8 mil).

Cidades e oportunidades

Outro levantamento divulgado pelo Ministério do Trabalho e que ajuda a traçar o perfil das vagas de emprego em 2017 foi a lista de cidades que mais contrataram e também as que mais demitiram no país.

Joinville (SC): cidade que mais criou postos de trabalho

Joinville, em Santa Catarina, é quem lidera a lista das cidades que mais criaram vagas formais no ano passado, com 5588 empregos. Aparecida de Goiânia, em Goiás, foi a segunda cidade, com a geração de 4342 vagas, seguida por Bebedouro, no interior de São Paulo (4203), Goiânia, capital goiana (3880) e São Luís, no Maranhão, com 2636 vagas criadas.

Já na lista das cidades que mais fecharam vagas formais no período, Rio de Janeiro aparece em primeiro, com o fechamento de 55527 empregos. A cidade de São Paulo ocupa a segunda posição nesse ranking negativo, com o fechamento de 14621 vagas formais. Porto Alegre (RS), Macaé e Duque de Caxias (ambas do RJ), completam a lista das cidades que mais fecharam postos de emprego, com a queda de 9607, 8904 e 8329 vagas, respectivamente.

Taxa média de desocupação

No ano de 2017, a taxa média de desocupação registrada no país foi de 12,7%. Foi a maior da série histórica do IBGE, que começou em 2012.

Nesse período, o desemprego afetou cerca de 13,23 milhões de pessoas da força do trabalho. Trata-se do mais elevado número registrado nos últimos cinco anos.

Foto: Shutterstock
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *