Conheça Octavia E. Butler, a ‘dama da ficção científica’

Por SOMOS Educação

“Todas as lutas são, essencialmente, lutas por poder”, a frase é da célebre autora norte-americana Octavia E. Butler (1947-2006), um dos nomes mais conhecidos do gênero literário de Ficção Científica. 

Apesar de ter sido revolucionária à sua época, Butler só ficou verdadeiramente famosa após a sua morte, em 2006. Seus romances, até então de pequeno alcance, passaram a vender cerca de 100.000 exemplares por ano.

Literatura e imaginação 

 Nascida em Pasadena, no sul da Califórnia, Butler é filha de um engraxate e de uma empregada doméstica. Muito tímida e com dificuldades de socialização, passava muitas horas na biblioteca pública da cidade e cresceu com a avó – o pai morreu jovem e a mãe trabalhava o dia todo. 

Butler viajava no mundo dos livros desde criança

Com a introspecção, desenvolveu uma grande imaginação. Em casa, escrevia páginas e mais páginas de histórias em um caderno escolar. Seu primeiro contato com o gênero pelo qual ficou famosa foi assistindo TV. Ao ver o filme  A Garota Diabólica de Marte, teve a certeza de que tinha a capacidade de escrever uma história alienígena muito melhor. 

Ao manifestar o seu sonho, Butler ouviu de uma tia o seguinte: “Querida, negros não podem ser escritores”, sinalizando então os obstáculos que a escritoria enfrentarira numa área dominada por homens, invariavelmente brancos – em plena década de 50.

A mãe dela, no entanto, incentivava o desejo menina com revistas e livros descartados pelas famílias brancas para quem trabalhava.

Carreira de escritora

Foi então na época da faculdade, Pasadena City College, que ela ganhou seu primeiro concurso de contos. Algumas décadas depois, a faculdade criaria uma bolsa de estudos em sua homenagem. Em 1968, Octavia se formou e, na sequência, teve um rotina dividida entre a escrita e empregos temporários.

A autora não tardou em elaborar e publicar narrativas robustas, romances, trilogias, grandes histórias. Seu primeiro – e maior – sucesso foi o livro “Kindred”, romance que foi lançado originalmente em 1979 e vendeu mais de meio milhão de cópias em todo o mundo, consagrando a autora como “A primeira-dama do sci-fi”.

Capa: Reprodução

Com pouco mais de 400 páginas, o leitor acompanha a história de Dana, uma escritora negra que é transportada da Los Angeles dos anos 1970 para uma fazenda escravista no sul dos Estados Unidos, no início do século 19.

Fotos: Reprodução

Confira mais notícias de atualidades em: https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza

REFERÊNCIAS

https://brasil.elpais.com/cultura/2020-07-25/octavia-e-butler-a-ressurreicao-da-grande-dama-da-ficcao-cientifica.html

https://www.huffpostbrasil.com/2017/10/06/octavia-butler-a-primeira-dama-da-ficcao-cientifica-que-reescreveu-o-futuro_a_23234174/

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *