Novas famílias e novas celebrações

No segundo domingo de maio e no segundo domingo de agosto comemoram-se, respectivamente, o Dia das Mães e o Dia dos Pais. É comum que as escolas aproveitem essas ocasiões para incentivar seus alunos a preparar presentes e apresentações especiais.

No entanto e especialmente nos dias atuais, datas comemorativas como essas têm desafiado cada vez mais as instituições de ensino a lidar com diferentes situações e com as novas configurações familiares.

“Isso acontece não só pelo fato de algumas crianças não terem a presença da mãe ou pai em seu dia a dia, mas também porque a configuração das famílias vem mudando substancialmente nos últimos anos”, explica a pedagoga Regina Trinca, do Ético Sistema de Ensino. Para ela, “os papeis tradicionais também já não são mais os mesmos, sem mencionar o fato de muitas crianças serem criadas por outros parentes, como tios ou avós”, diz.

Dia da Família

Para se ajustar às mudanças e homenagear quem cultiva os verdadeiros valores familiares, independentemente de sua configuração, algumas escolas estão trocando essas datas pelo Dia da Família.

A ideia é unir as duas comemorações e chamar para o ambiente escolar não apenas os pais, mas as pessoas que cuidam e se importam com a vida da criança. Assim, o momento festivo também traz como efeito positivo a inclusão das famílias que fogem do padrão, celebrando suas diferenças sem constrangimentos.

Para Regina Trinca, esse tipo de adaptação traz como outra vantagem a oportunidade de formar cidadãos mais conscientes e respeitosos. “A sociedade está em constante mutação e só sobreviveremos se nos adaptarmos a todas essas mudanças”, conclui.

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *