Doação de sangue: saiba a importância desse gesto

Por SOMOS Educação

Em 14 de junho é celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue. Criada em 2014 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data homenageia doadores e conscientiza a população sobre a importância da iniciativa que pode salvar vidas.

Durante todo o mês acontece a campanha Junho Vermelho, idealizada pelo Movimento Eu Dou Sangue, com diversas ações para incentivar a doação e o aumento dos estoques nos bancos de sangue no país.

Na América Latina, o Brasil é considerado referência em doação de sangue. Por aqui, anualmente, são feitas cerca de 3,4 milhões de doações, e mesmo estando dentro dos parâmetros da OMS (que estabelece que haja no mínimo 1% de doadores dentro da população do país) – em 2016, o número de brasileiros doadores chegou a 1,6% – o Ministério da Saúde aproveita o mês de campanha para aumentar ainda mais este índice.

É fácil entender a importância desse gesto. As transfusões de sangue não têm alternativa paliativa. O procedimento é realizado em atendimentos de urgência, como em graves acidentes de trânsito, intervenções cirúrgicas e em tratamentos de doenças crônicas e severas, como o câncer. Sem dúvidas, é um ato de generosidade e com inestimável valor, já que uma simples doação pode salvar até quatro vidas.

Quem pode doar sangue

Para doar sangue, são exigidos alguns requisitos. O interessado deve ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 quilos e, claro, estar em boas condições de saúde. Para os menores de 18, é necessário ter o consentimento de seus responsáveis. E para quem tem entre 60 e 69 anos, a doação só é permitida para quem já tiver doado antes dos 60 anos.

Também são exigências ao doador estar descansado, não ter ingerido bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação e estar bem alimentado.

Restrições e outras informações

Quem não preencher os requisitos acima ou quem toma algum tipo de medicação controlada não pode ser doador. Há, ainda, outras ressalvas temporárias: pessoas que tomaram vacina devem esperar um mês para doar; quem fez algum tipo de cirurgia deve aguardar pelo menos seis meses e quem fez tatuagens ou colocou piercings, um ano.

No que diz respeito à quantidade de doações, mulheres podem fazer até três vezes e homens até quatro por ano. Em cada doação são retirados 450 ml de sangue. O volume de plasma é reposto em apenas um dia e os glóbulos vermelhos são repostos em quatro semanas.

Ficou interessado em participar dessa importante iniciativa? O Brasil possui 32 hemocentros coordenadores e 2.033 serviços de hemoterapia, incluindo hemocentros regionais, núcleos de hemoterapia, unidades de coleta e transfusão, central de triagem laboratorial de doadores e agências transfusionais. O site http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/orientacoes/site/home/hemocentros traz a lista com alguns endereços e telefones.

Cores destacam outras campanhas de saúde

Além do Junho Vermelho, destacando a campanha para a doação de sangue, o calendário traz a cada mês uma cor, alertando para uma campanha de saúde. Quer saber as cores dos meses e seus significados? Confira:

Janeiro Branco – alerta para a saúde mental

Fevereiro Roxo / Laranja – conscientização sobre Mal de Alzheimer, fibromialgia e sobre o lúpus

Março Azul Marinho – prevenção ao câncer colorretal

Abril Verde / Azul – conscientização sobre segurança do trabalho e sobre o autismo

Maio Amarelo – alerta para os acidentes de trânsito

Junho Vermelho – incentivo à doação de sangue

Julho Amarelo – conscientização sobre o câncer ósseo e hepatites virais

Agosto Dourado – divulgação da amamentação e importância do leite materno

Setembro Vermelho / Verde – trata da saúde do coração; doação de órgãos; e prevenção do câncer no intestino

Outubro Rosa – conscientização sobre o câncer de mama

Novembro Azul – prevenção e combate ao câncer de próstata

Dezembro Laranja / Vermelho – combate ao câncer de pele e prevenção contra a AIDS

Acesse https://www.rededeexperiencias.com.br/em-familia e acompanhe outros conteúdos interessantes!

Foto: Depositphotos
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *