EAD cresce no Brasil com valores mais baixos, flexibilidade e mais conteúdo

Por SOMOS Educação

Mais acesso a todo tipo de conteúdo, maior flexibilidade e valores de mensalidades mais baixos. Esses são alguns dos benefícios que têm feito o ensino a distância (EAD) crescer bastante no Brasil nos últimos anos.

Números do Ministério da Educação (MEC) reforçam que a modalidade ganhou de vez a atenção dos alunos como alternativa de estudo. Passado um ano da publicação do decreto que regulamentou os polos de EAD, esse tipo de modalidade registrou crescimento de 133%. Hoje, existem 15.395 centros de ensino a distância. Antes da regra, eles somavam pouco mais de 6.500 polos.

O decreto eliminou a exigência de que o governo fizesse visitas prévias aos campus e deu autonomia às instituições para a criação dos próprios polos, desde que elas cumpram parâmetros de qualidade definidos pelo governo.

A regra abriu o leque de opções nessa modalidade, abraçando mais estudantes pelo país. De acordo com o Censo da Educação Superior, em 2016, os cursos a distância representavam 18,6% das matrículas no ensino superior brasileiro. No período, foram mais de 716 mil matrículas de EAD na região Sul, quase 522 mil no Sudeste, cerca de 170 mil matrículas na região Centro-Oeste, além de 73.931 no Nordeste e 12.474 no Norte do Brasil.

EAD e as novas relações de ensino

O crescimento do número de adeptos a essa modalidade de educação tem provocado mudanças nas relações entre professor, aluno e todo o conteúdo disponível com a tecnologia utilizada nesse processo de ensino. A mudança, positiva, acontece nas duas mãos, ou seja, tanto para quem leciona quanto para quem tem sede de conhecimento.

Pelo lado do professor, um dos grandes diferenciais é poder usar a plataforma virtual por onde as aulas acontecem para enriquecer o conteúdo passado. Isso pode ser feito com a inserção de clipes, vídeos, infográficos, aplicativos e outras ferramentas audiovisuais, tornando a aula mais dinâmica, interativa e mais interessante para os alunos que o assistem.

Outra vantagem, e essa válida também para os estudantes, é a flexibilidade que o EAD permite. Por não ser presencial, há a possibilidade de o professor gravar as aulas para que os alunos assistam no horário que lhes sejam mais propícios. E, nas aulas virtuais dadas ao vivo, ainda é possível que alunos e professores conciliem agendas para que a aula seguinte aconteça em bom horário para todos, sem que tenha que respeitar uma grade fixa como acontece no ensino presencial.

Valores menores

Pelo lado dos alunos, outra vantagem importante do EAD são os valores mais baixos a serem investidos. Por não exigir estrutura física da instituição, o que acarretaria em custos para o aluno, nem necessidade de deslocamentos e consequente gastos com transporte, sob o aspecto financeiro, os cursos do EAD se apresentam como uma boa alternativa de estudo.

Disciplina nos estudos

De fato, a flexibilidade, a possibilidade maior de busca de conteúdo e os custos mais acessíveis fazem do EAD uma opção bem interessante de estudo. Mas, para que ele realmente seja bem aproveitado na aquisição de conhecimento, é preciso que o estudante se dedique com a mesma dedicação empenhada no estudo presencial.

O aluno deve ter disciplina nos estudos. Com autonomia e liberdade para escolher onde, o que e quando estudar, é preciso manter foco, interesse e motivação permanentemente para ir em busca do máximo de conteúdo sobre o tema desejado. Esse empenho certamente se traduzirá em sucesso e em conquista de conhecimento.

Quer saber outras formas e ferramentas da tecnologia disponíveis para a educação? Veja em https://www.rededeexperiencias.com.br/em-familia/5-ferramentas-digitais-que-fazem-a-diferenca-na-educacao. E para ver outros conteúdos interessantes sobre o universo da educação, clique em https://www.rededeexperiencias.com.br/em-familia.

Foto: Depositphotos
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *