Estudantes brasileiros finalizam preparação para Olimpíadas de Astronomia

Por SOMOS Educação

Os estudantes brasileiros que compõem a nossa Seleção de Astronomia entraram na reta final de preparação para duas competições importantes fora do país: a Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA) e a Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), que serão realizadas em outubro no Paraguai e em novembro na China, respectivamente.

Durante a última semana, os dez jovens que compõem a equipe fizeram a terceira e derradeira etapa do programa de treinamentos, no Mosteiro Casa Siloé, em Vinhedo, no interior de São Paulo. Entre as atividades realizadas, estavam oficinas de construção e lançamento de foguetes construídos com garrafas PET.

O Mosteiro Casa Siloé é utilizado pela seleção desde 2015, em especial por causa das condições que oferece. O local é ideal para fazer observações do céu à noite, além de estar próximo do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e da capital do estado.

Os estudantes da Seleção Brasileira de Astronomia serão divididos igualmente em dois times. Cada um será composto por alunos entre 17 e 18 anos, para disputar as competições internacionais nas cidades de Ayolas (Paraguai) e Pequim (China). Além dos dez membros que compõem a seleção, há ainda uma equipe reserva, com 14 integrantes.

Para fazer parte do seleto grupo, eles competiram com 661 mil alunos de mais de sete mil escolas de todo o Brasil na 20ª Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). A atual equipe é formada por cinco integrantes do Ceará, três de São Paulo, um de Pernambuco e um do Espírito Santo.

O desempenho dos brasileiros nas competições

O Brasil tem participação de destaque na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA). O país conquistou 45 medalhas ao longo de nove edições da competição. Foram 26 de ouro, 15 de prata e quatro de bronze. Além disso, o país já sediou o evento por três vezes, todas no Rio de Janeiro, em 2009, 2011 e 2015.

No ano passado, em Antofagasta, no Chile, a delegação brasileira conquistou quatro ouros e uma prata, repetindo o melhor resultado obtido até então, em 2015. Desde a primeira edição da OLAA, os estudantes brasileiros não deixaram de subir no lugar mais alto do pódio.

Já na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), os brasileiros acumulam 29 medalhas ao longo de 11 edições da competição, sendo 11 de prata e 18 de bronze, assim como 23 menções honrosas. O Brasil foi sede do evento mundial apenas uma vez, em 2012, também na cidade do Rio de Janeiro.

Em 2017, na cidade de Phuket, na Tailândia, a equipe nacional trouxe para a casa três medalhas: uma de prata e duas de bronze. As melhores participações do Brasil na IOAA ocorreram em 2009, no Irã, quando foram conquistadas três pratas e um bronze, e em 2013, na Grécia, quando foram conquistados duas pratas e três bronzes. A Seleção Brasileira ainda não conseguiu medalhas de ouro na competição mundial. Quer ficar por dentro dos principais temas da atualidade? Acesse https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza.

Foto: Depositphotos
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *