Estudo mostra que poluição atmosférica afeta inteligência cognitiva

Por SOMOS Educação

A poluição atmosférica causa mais danos à saúde humana do que se pode imaginar. Além dos já conhecidos efeitos sobre a capacidade física das pessoas, a exposição crônica ao ar tóxico afeta a inteligência cognitiva, apontou estudo de pesquisadores chineses e norte-americanos divulgado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciencies (PNAS).

Realizada na China, entre os anos de 2010 e 2014, a pesquisa monitorou as habilidades verbais e de matemática de aproximadamente 20 mil pessoas. Os cientistas fizeram testes contendo 24 questões padronizadas de matemática e 34 questões de reconhecimento de palavras com homens e mulheres com mais de dez anos de idade.

Poluição e perda da educação escolar

A análise apontou que níveis elevados de poluição geram declínio relevante nos resultados de testes de linguagem e aritmética, equivalendo à perda de um ano de educação escolar. Os pesquisadores ainda constataram que o impacto negativo aumenta conforme a idade e afeta mais os homens com baixa escolaridade.

O estudo também demonstra que a poluição eleva o risco de doenças degenerativas, como Alzheimer e outras formas de demência, uma vez que muitos poluentes afetam diretamente a química do cérebro. Além disso, a contaminação do ar pode gerar impactos psicológicos, aumentando a probabilidade de as pessoas desenvolverem depressão.

Mesmo com dados referentes apenas à China, os cientistas sustentam que a pesquisa tem importância mundial, pois 98% das cidades com mais de 100 mil habitantes em países pobres ou em desenvolvimento excedem os limites de poluição atmosférica estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a entidade, as partículas tóxicas presentes no ar são responsáveis por cerca de 7 milhões de mortes por ano no mundo.

Para ficar por dentro das principais notícias do mundo da educação acesse https://www.rededeexperiencias.com.br/em-familia.

Foto: Depositphotos

 

 

 

 

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *