Feriado de 9 de julho: entenda a Revolução Constitucionalista

Por SOMOS Educação

No estado de São Paulo, esta segunda, 9 de julho, é feriado. Instituída como dia de recesso desde 1995, a data marca um importante capítulo da história paulista: a Revolução Constitucionalista de 1932. Na época, o levante teve como objetivo derrubar o Governo Provisório de Getúlio Vargas e promulgar uma nova Constituição para o Brasil.

A revolução é tida como o maior movimento cívico da história do Estado de São Paulo. Iniciada exatamente em 9 de julho de 1932, durou 87 dias e contabilizou saldo oficial de 934 mortos – embora haja estimativas de que, na verdade, o número de óbitos tenha ultrapassado os 2 mil.

O início da revolução…

A motivação para o grande motim foi uma resposta paulista à Revolução de 1930, que pôs fim à autonomia que os Estados possuíam durante a vigência da Constituição de 1891. A Revolução de 1930 também impediu a posse de Júlio Prestes, que ocupava cargo similar ao de governador de São Paulo, ao cargo de presidente da República, além de destituir do poder o então presidente Washington Luís, que foi governador do estado paulista entre os anos de 1920 e 1924, colocando fim à República Velha.

Getúlio não só anulou a Constituição até então vigente, como nomeou interventores para os Estados. São Paulo, então, passou a ser governado por um tenente de outro Estado. Tudo isso desagradou os paulistas que, primeiro com manifestações e comícios e, depois, com o conflito armado, lutaram pelo fim do Governo Provisório.

…e seus resultados

A Revolução terminou com a derrota militar dos constitucionalistas, mas, pouco tempo depois, o governo federal convocou eleições para uma Assembleia Constituinte. Em 1934, então, foi promulgada a Constituição do Brasil em 1934.

A nova Constituição trouxe importantes conquistas para a população. Deu garantia do voto para as mulheres e instituiu a jornada de trabalho de oito horas, além do direito ao recebimento de 13º salário. Com sua promulgação, a questão social ganhou os holofotes no país. A participação popular cresceu e os direitos democráticos foram verdadeiramente estabelecidos.

Curiosidade: o obelisco

Quem passa pelo Parque do Ibirapuera, na cidade de São Paulo, logo vê um grande monumento. O Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32 é uma construção que presta homenagem aos estudantes e soldados mortos durante a Revolução Constitucionalista de 1932. Conhecido também como Obelisco do Ibirapuera, o monumento é projeto do escultor ítalo-brasileiro Galileo Ugo Emendabili e foi construído em puro mármore travertino pelo engenheiro alemão Ulrich Edler. Inaugurado em 9 de julho de 1955, tem 72 metros de altura e 1932 metros quadrados, sendo considerado o maior monumento da cidade paulistana.

Para ficar por dentro dos principais temas da atualidade acesse https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza.

Foto: Shutterstock
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *