Fronteira compartilhada

Por SOMOS Educação

A fronteira entre os Estados Unidos da América e o México possui 3.185 quilômetros.  São as barreiras que visam conter qualquer tentativa de atravessar clandestinamente para o país norte-americano. Apesar da ideia de separação, a fronteira, a seu modo, conectou pessoas entre as nações. Inclusive entre as crianças.

Gangorra rosa na fronteiro (Reprodução: Instagram @abcnews)
Gangorra rosa na fronteira (Reprodução: Instagram @abcnews)

Pensando nisso, o professor de arquitetura Ronald Rael, junto com Virginia San Fratello, da área de design da Universidade de Berkeley, na Califórnia, desenhou gangorras que foram incorporadas a alguns trechos da parede de aço que divide os dois países. A criação teve como propósito fazer as crianças de ambos os lados brincarem juntas, sentadas cada uma de um lado da cerca.

Fronteira separa, brincadeira alegra

As gangorras cor-de-rosa foram montadas ao longo da fronteira entre o Sunland Park, no Novo México, e Ciudad Juárez, no México. De acordo com o professor, as barreiras representam hoje um ponto de apoio para as relações EUA-México. Segundo ele, “os adultos foram conectados de maneira significativa em ambos os lados com o reconhecimento de que as ações que acontecem de um lado têm uma consequência direta para o outro lado”.

O professor Rael compartilhou um vídeo no Instagram que mostra as pessoas de ambos os países felizes e brincando nas gangorras rosas:

Crianças brincando na fronteira (Reprodução Instagram @rrael)

A ideia das gangorras surgiu em 2009, mas pela sua concretização nos tempos atuais, cabe ao contexto de reação à promessa de Donald Trump, presidente dos EUA, que visa construir um muro em toda a fronteira.

Confira mais notícias de atualidades em: https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *