Morre a escritora Toni Morrison, aos 88 anos

Por SOMOS Educação

Conhecida por descrever as dificuldades e o racismo enfrentados pela comunidade negra nos Estados Unidos, a romancista Toni Morrison faleceu na última segunda-feira (5/8), aos 88 anos. Suas novelas, celebradas no mundo todo, foram eternizadas por retratar fielmente e com riqueza de detalhes personagens fortes, quase sempre mulheres, lutando contra o preconceito racial e pela igualdade social e de gênero.

A morte foi comunicada no dia seguinte pela editora que a representava e por sua família. “Sua narrativa e sua hipnótica prosa deixaram uma marca indelével na nossa cultura. Seus romances dominam e demandam a nossa atenção”, escreveu Sonny Mehta, diretor da editora Alfred A. Knopf, no Twitter.

Carreira extraordinária

A romancista tornou-se mais conhecida do grande público em 1993, ao se tornar a primeira mulher negra a receber um Prêmio Nobel de Literatura. Em seu romance de estreia, publicado em 1970 nos Estados Unidos, Morrison conta a história de Pecola Breedlove, uma moça negra que sonhava em ser loira e de olhos azuis como a famosa atriz Shirley Temple. O livro chama-se “O Olho Mais Azul”, até hoje um de seus maiores sucessos. A escritora, que começou tarde na profissão, tinha quase 40 anos à época.

Toni Morrison e Barack Obama

Grandes sucessos

De lá para cá, Toni Morrison não parou mais. Ano após ano ela emplacou impressionantes sucessos de crítica e de público. Sua narrativa, que misturava fatos verídicos com estórias fantasiosas, foi, mais de uma vez, comparada com a literatura fantástica de outro celebrado autor, o argentino Jorge Luis Borges.

Depois de “O Olho Mais Azul” vieram ainda grandes sucessos, como “Song of Solomon” (1977), “Amada” (1987) – pelo qual recebeu o Prêmio Pulitzer, em 1988 – “Jazz” (1992) e “Paraíso” (1997). Seu último livro, publicado há quatro anos, é “Voltar para Casa”.

Com “Amada” veio mais uma grande conquista. Em 1998, a obra recebeu uma adaptação cinematográfica com ninguém menos que Oprah Winfrey. A apresentadora era amiga e admiradora da escritora, assim como Barack Obama. Em 2012, Morrison recebeu do ex-presidente a condecoração Medalha Presidencial da Liberdade.

Oprah Winfrey

Nas palavras da filósofa e também escritora Djamila Ribeiro, celebrada por descrever com maestria os obstáculos políticos e sociais enfrentados pela comunidade negra ao longo da história americana, “Toni Morrison, um grande farol para embarcações em mares turbulentos, deixou um legado de luz.”

Fotos: Depositphotos
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *