O duelo filosófico entre Parmênides e Heráclito

Por SOMOS Educação

Na história da Filosofia, existem diferentes concepções acerca do mundo, do indivíduo e da natureza. Um conflito de pensamentos que foi um divisor de águas para o pensamento filosófico de uma era foi aquele entre Parmênides e Heráclito.

Enquanto Heráclito defendia que nada é permanente, exceto a mudança, Parmênides definia a imobilidade e unidade do ser.

De acordo com o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, se Heráclito é o filósofo do fogo, Parmênides é o filósofo do gelo, vertendo em torno de si uma luz fria e penetrante. 

Heráclito

Para Heráclito, o mundo era contínuo, ou seja, um constante fluxo onde nada permanece idêntico a si mesmo, e sim transforma-se no seu oposto. A frase “Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio” tornou-se um grande exemplo de sua filosofia.

“Ninguém se banha duas vezes no mesmo rio”, Heráclito

Outra metáfora utilizada pelo filósofo foi a da vela acesa: ao vermos a chama acesa de uma vela, temos a impressão de que é sempre a mesma, no entanto, estamos vendo um processo de transformação que ocorre naquele mesmo instante, em que a cera da vela é transformada em fogo, o fogo em fumaça e a fumaça em ar.

Heráclito também fundamentou o seu pensamento sobre a divisão do universo entre dois pólos, “seres” e “não-seres”, e enxerga uma unidade entre eles. É daí que surge a diferença primordial entre a sua filosofia e a de Parmênides. 

Parmênides

O pensamento filosófico de Parmênides define que o ser é único, imutável, infinito e imóvel, sempre idêntico a si mesmo. Ele também defende que a aparência sensível do mundo não existe, ou seja, o nosso conhecimento sensitivo das coisas só nos dá uma ilusão do movimento, uma aparência, sendo que apenas o conhecimento intelectivo permite com se conceba a realidade como idêntica a si mesma.

Parmênides ordenava a realidade a partir das classes “aquelas que são” e “aquelas que não são”. Por exemplo, ao observar a luz e a escuridão, o filósofo notou que a escuridão nada mais era que a negação da luz. Ao denominar esses pares de opostos como “ser” (positiva) e “não-ser” (negativa), Parmênides postulou também que “O Ser é e o Não-Ser Não é”.

Fotos: Reprodução

REFERÊNCIAS

https://www.estudopratico.com.br/heraclito-e-parmenides-filosofia-e-pensamento/

https://descomplica.com.br/blog/materiais-de-estudo/resumo/parmenides-e-heraclito/

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/filosofia/ser-e-nao-ser-parmenides-a-verdade-e-o-paradoxo.htm?cmpid=copiaecola

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *