Pisa traz dados preocupantes sobre a educação no Brasil

Por SOMOS Educação

Na última terça, dia 3 de dezembro, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou os dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês) 2018. Trata-se de um dos principais rankings de educação do mundo. As informações referentes ao Brasil revelam que o país vai mal na comparação internacional. Estamos em 59º lugar entre 79 países. O levantamento leva em conta os três eixos avaliados: matemática, ciências e leitura.

O Pisa é aplicado a cada três anos em jovens de 15 anos. São estudantes com idade no fim da etapa da Educação Básica. Em 2018, responderam o levantamento 10.691 alunos brasileiros de 638 escolas.

Na comparação dos resultados nacionais com os dados de países desenvolvidos, percebe-se uma grande desigualdade. Essa diferença diz respeito principalmente aos conhecimentos básicos nesses três eixos. Na avaliação de proficiência mínima para eles, 43% dos alunos das escolas brasileiras tiveram pontuação abaixo da média dos 36 países que integram a OCDE. Para esses, o índice ficou em 13%.

Matemática: eixo do levantamento
Matemática: um dos eixos do Pisa

Pontuações no Pisa

De acordo com o relatório do Pisa, os estudantes brasileiros pontuaram 404 em ciências. Em matemática foram 384 pontos e em leitura 413. Na comparação com o levantamento anterior, realizado em 2015, a pontuação manteve-se praticamente a mesma. Essa constatação mostra não haver qualquer evolução na educação nacional.

Para efeito de comparação dos desempenhos de estudantes de outros países, os chineses, que obtiveram a maior pontuação do ranking, alcançaram 590 pontos em ciências, 591 em matemática e 555 pontos em leitura.

Outros resultados ligados ao Pisa

Além da medição do desempenho,  obtida por meio de um teste computadorizado, o Pisa permite outros tipos de levantamento ligados ao ambiente escolar.

De acordo com o relatório divulgado nesses últimos dias, 29% dos estudantes brasileiros participantes do Pisa afirmaram já terem sido vítima de bullying mais de uma vez por mês; quase 40% diz se sentir solitário no ambiente escolar; e mais de 40% afirma que os professores precisam perder boa parte do tempo aguardando o silêncio da turma dentro de sala de aula.

Estudantes e a solidão no ambiente escolar
Estudantes falam sobre solidão no ambiente escolar

O objetivo desse levantamento não é dimensionar conhecimentos específicos. É, contudo, avaliar se os estudantes saem dessa etapa escolar minimamente preparados para a vida. Dessa forma, poderão ler e interpretar textos. Mais do que isso, poderão entender a matemática em seus diferentes conceitos, além de compreender a ciência e todos os seus importantes ensinamentos.

Confira mais notícias sobre atualidades em https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza

Fotos: Reprodução
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *