Segunda onda na Europa: restrições aumentam para conter casos de covid-19

Por SOMOS Educação

De acordo com uma contagem feita pela AFP (Agência France Presse) a partir de fontes oficiais, a pandemia matou mais de 300.000 pessoas no continente europeu, em mais de 12 milhões de infecções. É a segunda região com mais óbitos do mundo, atrás da América Latina e do Caribe (mais de 410.000 mortes). 

Com uma segunda onda de casos no velho continente, novas restrições entraram em vigor em vários países europeus. 

Na Polônia, que registra meio milhão de casos: cinemas, teatros, instituições culturais estão fechados. Nos shopping centers, apenas as lojas consideradas essenciais estão abertas. Os alunos do ensino fundamental passarão a partir de segunda-feira ao ensino à distância.

Pandemia na Europa

A Grécia também se encontra em um segundo confinamento, como a França, Inglaterra, Irlanda e partes da Itália. A principal rua comercial de Atenas, muito movimentada de modo geral, nos últimos dias estava deserta, com funcionários municipais desinfetando as praças vazias.

Mutação do vírus

 Segundo um estudo da universidade ETH Zürich e da Universidade de Basel, ambas na Suíça, uma nova mutação chamada de “20A.EU1”, que foi rastreada inicialmente na Espanha e se espalhou em países que estão enfrentando a segunda onda da covid-19, como o Reino Unido.

 De acordo com o estudo, que ainda não foi publicado em um periódico científico —ou seja, não passou pela revisão por pares, que confirma a validade da conclusão da pesquisa— a mutação provavelmente se originou em trabalhadores agrícolas no nordeste espanhol, onde foi registrada pela primeira vez em junho.

Situação do Brasil

Atualmente, o Brasil é o segundo país do mundo com o maior número de mortes, atrás apenas dos Estados Unidos. Já em número de contaminações registradas, é o terceiro, atrás de Estados Unidos e Índia.

Ao contrário dos países europeus, não houve no Brasil a imposição de lockdowns, com proibição rígida de sair às ruas. O que se verificou foram decretos que ordenavam o fechamento de estabelecimentos considerados não essenciais e, em alguns lugares, a restrição do tráfego de veículos.

Rio de Janeiro, Brasil. Julho de 2020.

Devido a diversos fatores, desde comunicação oficial desencontrada, às desigualdades socioeconômicas, passando pelas dimensões continentais do país, o confinamento dos brasileiros nunca ocorreu de forma consistente e uniforme.

Fotos: Reprodução

Confira mais notícias de atualidades em: https://www.rededeexperiencias.com.br/atualiza

REFERÊNCIAS

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2020/11/07/restricoes-aumentam-para-conter-segunda-onda-de-covid-19-na-europa.htm?cmpid=copiaecola

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/11/01/A-for%C3%A7a-da-2%C2%AA-onda-de-covid-na-Europa.-E-o-efeito-no-Brasil

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/10/29/mutacao-do-coronavirus-causou-2-onda-de-covid-19-na-europa-aponta-estudo.htm?cmpid=copiaecola

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *