Abertas as inscrições para a escolha do melhor professor do mundo

Por SOMOS Educação

Estão abertas as inscrições para o Global Teacher Prize, concurso para a escolha do melhor professor do mundo. Considerado o “Nobel da Educação”, o prêmio tem o objetivo de reconhecer a importância do educador e de destacar exemplos inspiradores de transformação através da educação.

Organizado pela Varkey Foundation, entidade sem fins lucrativos focada no desenvolvimento da educação em todo o mundo, o concurso garante ao educador selecionado o prêmio de US$ 1 milhão. Podem concorrer os professores de ensino fundamental e médio que deem aulas presencialmente ou online, cumprem uma carga horária mínima de dez horas por semana e planejam seguir lecionando, no mínimo, pelos próximos cinco anos.

Os educadores interessados em concorrer ao prêmio devem fazer as inscrições pelo site www.globalteacherprize.org. O prazo para isso termina no dia 9 de setembro.

Fases da escolha

O processo de seleção é dividido em três fases. Na primeira, há a pré-seleção de 50 professores. Essa etapa vai até dezembro de 2018. Em fevereiro de 2019, a organização do concurso anuncia os dez finalistas. A cerimônia do anúncio do grande vencedor acontece em março, em Dubai, nos Emirados Árabes, com a presença dos “Top 10”.

Entre os vários fatores julgados estão as práticas pedagógicas e metodologias eficazes para levar uma educação de qualidade; resultados de progresso de aprendizagem dos alunos; o reconhecimento pelo trabalho prestado, que pode vir de alunos, colegas, familiares e sociedade; e o impacto da ação na comunidade escolar.

Representante brasileiro em 2018

Na edição de 2018, o Brasil teve dois professores pré-selecionados entre os 50 melhores. Um deles chegou, inclusive, ao “Top 10”. Foi Diego Mahfouz Faria Lima, atuando como diretor da Escola Municipal Darcy Ribeiro, noticiada como a mais violenta e com as maiores taxas de evasão da cidade de São José do Rio Preto (SP).

Diego Lima dedicou-se no trabalho de recuperação do espaço físico do colégio e no envolvimento não só dos alunos, como também da sociedade, através de uma gestão democrática da instituição. O diálogo foi a grande chave de transformação para uma nova realidade da escola.

O prêmio ficou com a professora britânica Andria Zafirakou, que leciona artes numa escola de ensino médio no distrito de Brent, em Londres (Inglaterra), de grande diversidade étnica e frequentada por muitos estudantes com dificuldades financeiras.

 

Através das artes, Andria conseguiu conquistar a confiança de alunos e suas famílias, estabelecendo relações com as mais diferentes etnias e idiomas presentes na escola, quebrando todo tipo de barreira cultural, religiosa, étnica e racial. Sua dedicação fez com que a escola figurasse entre as melhores do país.

 

 

Quer ver outros conteúdos interessantes sobre o universo da educação? Clique em https://www.rededeexperiencias.com.br/em-familia.

Foto: Varkey Foundation / Global Teacher Prize
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *