Alimentação saudável e ética na escola

Por SOMOS Educação

O exemplo que verá nas linhas a seguir veio de Pato de Minas (MG) e mostra como a escola pode exercer bem o seu papel de formação de pessoas solidárias, respeitosas, honestas…e saudáveis!

O colégio é o Equipatos e tudo começou quando o gestor da escola, Pablo Novaes, recebeu a visita de um amigo, o educador Márcio Miranda, um apaixonado por educação e alimentação orgânica, que buscava uma forma de melhorar a alimentação dos seus educandos e já implantava um projeto semelhante na escola onde atuava.

Durante uma conversa entre os dois profissionais, Novaes foi estimulado a observar melhor como seus alunos se alimentavam durante os intervalos. Foi nessa observação, então, que o gestor do Colégio Equipatos percebeu as filas que os estudantes formavam para adquirir frituras, salgados, refrigerantes, balas e doces nas cantinas do colégio.

“Nem foi preciso muito tempo para observar que além da perda de tempo no intervalo, prejudicial para o descanso entre as aulas, havia tumultos nas filas, o que criava desarmonia entre os colegas e o pior, a comida servida não era nada saudável”, revela Pablo Novaes.

Ele destacou que aliado a toda essa situação, “lembrava das constantes reclamações de seus professores sobre o comportamento dos jovens após o intervalo, onde eram comuns os casos de falta de atenção e sonolência por conta do excesso de açúcar ingerido, sem deixar de citar problemas mais a longo prazo, como cáries, obesidade e sedentarismo entre os jovens estudantes”. Foi a ignição para a decisão de promover a mudança dentro do colégio.

“Foi necessário a quebra de paradigmas, pois, apesar de parecer um tanto radical, o ponto de partida era bem simples e se baseava na alimentação mais saudável dos estudantes e, junto com isso, trazer valores importantes na vida de cada um, como o respeito e a honestidade”, explica o gestor do colégio.

Dessa forma, iniciou-se um trabalho de conscientização sobre a importância da alimentação saudável, o que envolveu várias semanas de trabalho. Em seguida, as cantinas foram desativadas e no lugar delas foram disponibilizadas para comercialização frutas, castanhas e sucos, tudo produzido de forma orgânica por produtores locais e repassados aos estudantes a preço de custo.

“Uma pera ou um suco natural de frutas da estação pode custar R$ 1,00; uma laranja ou uma tangerina, por exemplo, R$ 0,50; um “mix” de castanhas pode custar R$ 1,50. Tudo com preço bem acessível, o que estimula ainda mais o consumo saudável”, destaca Novaes.

Valores como o respeito e a honestidade entram na mecânica do pagamento. Os próprios alunos pagam e fazem o troco, deixando o dinheiro em uma caixa de madeira. Quem, de repente, estivesse sem dinheiro no dia, poderia consumir igualmente, anotando em uma planilha ao lado o que adquiriu para pagar no dia seguinte.

Essa mecânica deu super certo, o que deixou o gestor do Colégio Equipatos ainda mais orgulhoso. “Em princípio, podemos nos perguntar se houveram diferenças no caixa ou se algum problema aconteceu, seja até por vivenciarmos diariamente casos de corrupção e de falta de honestidade. Mas, foi exatamente esse o mote do trabalho de valores que o colégio quis trabalhar – ‘a honestidade começa comigo’. E foi o que marcou ainda mais o sucesso desse projeto”, celebra Pablo Novaes.

Para alcançar todo esse resultado esperado, foram realizadas muitas conversas, debates, acordos e pactos de confiança, onde os educandos puderam ver uma realidade possível, com a predominância do coletivo sobre o individual egoísta, pois os “lucros” do projeto se revertem em benefícios para eles próprios, como viagens, eventos, livros, entre outros. Uma forma prazerosa e eficaz de ensinar valores tão importantes para a vida!

Os frutos do projeto

O projeto deu tão certo que foi destacado para todo o país na TV Globo, no programa Encontro com Fátima Bernardes. Veja a reportagem abaixo:

escola saudavel

Como fazer na minha escola

Persistência e exemplo são as chaves do sucesso para que o projeto dê certo.

É preciso que o tema não saia de pauta e que o próprio colégio em suas ações mostre que está comprometido moral e eticamente com a comunidade.

Com isso em mente e com muita conversa com os alunos, substitua as tradicionais cantinas por opções de alimentos mais saudáveis, de preferência de produtores locais.

Faça caixas para possibilitar o pagamento dos alunos, deixando ao lado uma lista para que os estudantes que esquecerem o dinheiro possam anotar a pendência e pagar posteriormente.

Aproveite eventuais lucros para revertê-los em prol dos próprios alunos, como viagens, eventos ou outras ações.

Foto: Shutterstock
Compartilhe nas suas redes

Um comentário em “Alimentação saudável e ética na escola

  • 26 de abril de 2018 em 16:40
    Permalink

    Parabéns pela iniciativa, o Projeto é encantador! Em nossa escola temos o Projeto Lanche Comunitário que após uma Palestra com uma mãe Nutricionista, tb tiramos a cantina da escola e passamos para o lanche coletivo em que cada dia um aluno traz o lanche para todos! Uma ideia bem legal que tem dado super certo! Parabéns para toda equipe do seu colégio e sucesso!

    Abraços,
    Lidiane Marques de Souza Moraes
    Diretora Pedagógica
    Instituto Educacional Marques Moraes

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *