Alunos protagonistas, aprendendo e compartilhando saber

Por SOMOS Educação

Desde o início deste ano, o Instituto Educacional Marques Moraes, de Jacareí, no interior de São Paulo, vem desenvolvendo com seus alunos um novo modelo de ensino. Tendo como motivação a frase “Escola não é prédio, Escola são pessoas”, e com todo o apoio e base de material didático disponibilizado pelo Sistema de Ensino SER, a escola iniciou um projeto interdisciplinar e interclasses, onde os alunos, com mais autonomia, são protagonistas, aprendendo e compartilhando saber.

“O conceito ganhou força após estudarmos bem o projeto da Escola da Ponte, em Portugal, idealizada pelo educador José Pacheco. E para adaptá-lo, foi fundamental contar com todo o material lúdico e encantador do sistema de ensino por nós usado”, explica a gestora do Instituto, Lidiane Marques de Souza Moraes.

 

Aprendendo em turmas multisseriadas

Com o pontapé do projeto dado no início do ano letivo, a organização das salas passou a acontecer de forma diferenciada. “Trabalhamos com turmas multisseriadas, em grupos de seis alunos por mesas, com acompanhamento dos professores. Inclusive, eles agora são chamados de monitores. Também não há um horário a cumprir. Os alunos criam seu próprio cronograma de estudo, onde eles mesmos determinam uma linha de estudo por meio de fichas de planejamentos mensais e semanais, junto às tarefas diárias e à rotina de estudos”, detalha a gestora.

Lidiane destaca as vantagens desse modelo educacional. “Dessa forma, os alunos se desenvolvem de forma espiral, ou seja, um ajuda o outro, aprendem e também compartilham conhecimento tanto relacionado à revisão do ano anterior quanto às novas aprendizagens.”

Na prática, os estudantes trabalham em grupos de segunda à quinta. Na sexta, o foco é centrado em projetos interdisciplinares, onde são reunidas todas as aprendizagens dadas nos chamados subprojetos. Neste ano, o colégio trabalha como projeto interdisciplinar o tema “Inteligências Múltiplas”, além de dar sequência no desenvolvimento do “Projeto Empreendedorismo”.

Avaliações

Nessa proposta de ensino, dentro de uma programação estabelecida, os alunos escolhem o dia para fazer as provas, desde que estejam preparados. Dia a dia, a escola incentiva a autoavaliação do aluno, para que cada um identifique seu avanço na aprendizagem.

A avaliação envolve ainda os familiares. Com o Fórum de Pais realizado sempre nas últimas segundas-feiras de cada mês, a escola consegue trocar experiências com eles para saber a evolução de seus filhos. Foi, inclusive, nesses encontros que a escola percebeu mais um sinal de sucesso nesse projeto. “Vimos que nossos alunos que tinham questões de indisciplina melhoraram muito o comportamento”.

Mais autonomia, mais responsabilidade

Passados os primeiros meses, a escola avalia com absoluto sucesso o modelo educacional. “Os alunos estão com muito mais autonomia e mais responsáveis. Certamente, desenvolveram mais habilidades voltadas às inteligências tanto cognitivas quanto emocionais, já que estão mais solidários e afetuosos. Isso porque o projeto é composto por várias ações educacionais não apenas direcionadas ao intelecto, mas também ao convívio social”, ressalta Lidiane.

Os alunos assumem fortemente o protagonismo. Mensalmente, eles realizam assembleias para que emitam suas opiniões, críticas e sugestões. Outra ação é a criação de grupos de estudantes monitores do saber, onde por meio das habilidades destaques de cada um, eles se mobilizam e se ajudam em grupos de estudos.

“O incentivo ao protagonismo não para por aí. Há ainda os monitores do intervalo e zeladoria, formado por grupos de alunos responsáveis por organizar brincadeiras durante os intervalos e zelar pela organização e limpeza da escola”, diz a gestora do Instituto Educacional Marques Moraes.

Para os alunos de inclusão, o novo modelo educacional também fez diferença. “Eles estão participando de todas as atividades, mais motivados, aprendendo e absorvendo todo o conhecimento esperado”, revela Lidiane, satisfeita com o resultado.

A gestora do Marques Moraes conclui: “há alunos que relataram ter aprendido e seguir aprendendo muito mais nesse formato de ensino. Já observamos esses resultados por meio dos avanços por eles conquistados e até mesmo nas avaliações, trabalhos e produções que eles têm feito. É muito bom saber que temos, na educação, com esse projeto, uma poderosa ferramenta para as mudanças que precisamos em nossa sociedade. Um projeto onde o aluno é protagonista da sua própria aprendizagem, capaz de aprender e de ensinar, compartilhando saberes e conhecimento.”

Como fazer na minha escola:

– O primeiro e mais importante passo é estudar sobre esse modelo de ensino, buscando livros e textos do Educador José Pacheco. Nesse processo, também é importante buscar conhecer o projeto escola da Ponte, em Portugal.

– Outro passo essencial é saber se toda a equipe de educadores está empenhada para desenvolver de maneira unificada o projeto, pois o processo depende de todos da escola.

– Depois, é preciso conversar com os pais e explicar detalhadamente como funciona esse modelo educacional.

– O modelo educacional pode ser aplicado, em princípio, em pequenos projetos que envolvam todos e crescer gradualmente.

Veja outras iniciativas do Instituto Educacional Marques Moraes em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica/conhecimento-e-empreendedorismo-com-monteiro-lobato e em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica/aprendizado-rentavel

Quer conhecer outros projetos de destaque na educação? Saiba mais em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7.

Foto: Instituto Educacional Marques Moraes

 

Compartilhe nas suas redes

2 comentários em “Alunos protagonistas, aprendendo e compartilhando saber

  • 31 de maio de 2018 em 17:34
    Permalink

    Proposta sensacional ! Estamos tentando trazer a satisfação de estudar aos nossos alunos, através da autonomia e o pensar fora da caixa ! A obrigatoriedade de se fazer algo é muito contraditório, já a consciência de que se deve buscar o conhecimento , é extremamente prazeroso ! Parabéns a todos os envolvidos.

    Resposta
    • 13 de junho de 2018 em 12:57
      Permalink

      Edilberto, perfeita colocação! Nós, da Rede de Experiências concordamos totalmente com você e parabenizamos novamente a realização deste projeto!
      Abs

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *