Conhecimento e diversidade: explorando as inteligências múltiplas e socioemocionais

Por SOMOS Educação

O que torna a sociedade civil mais rica e íntegra é a diversidade. Especialmente no Brasil, em que há uma pluralidade tão bonita de povos, culturas, cores e sabores. As diferenças presentes no coletivo refletem o próprio ser humano: cada indivíduo possui suas próprias nuances emocionais e inteligências múltiplas. Esse foi o tema da XIII Feira do Conhecimento Sociocultural: Família, Escola e Comunidade, promovido pelo Instituto Educacional Marques Moraes, de Jacareí, no interior de São Paulo.

Para Lidiane Marques de Souza Moraes, esse foi mais um projeto desenvolvido por professores e alunos com o objetivo de trabalhar e desenvolver as habilidades socioemocionais, bem como explorar o conceito de diversidade na escola e na vida pessoal.  “Acreditamos que é na escola que conseguimos desenvolver as múltiplas inteligências, lógicas e emocionais – o que levará o aluno a ser um adulto com futuro promissor e de sucesso, com boas relações e domínio de seus conhecimentos”, explica Lidiane.

O projeto foi daqueles que causam impacto na memória e no imaginário de toda a comunidade escolar: contou com a participação de alunos do Ensino Infantil, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio. A atividade foi interdisciplinar e em paralelo a outro projeto da escola, que leva o nome de “Empreendedorismo Rentável”, com o intuito de integrar família, escola e comunidade.

Diversidades sociais e culturais

Para os pequeninos do Ensino Infantil e Fundamental I, os professores focaram em explorar os cinco sentidos e as inteligências emocionais, por meio de diversas atividades envolvendo, principalmente, música e teatro. Já para os jovens do Ensino Fundamental II e Ensino Médio, a temática foi o Nordeste e suas riquezas culturais! Durante todo o ano letivo, foram trabalhados os cordéis de forma lúdica e interdisciplinar nas seguintes áreas: Literatura, Arte, Música e Dança, História, Geografia, Ciências e até na Matemática.

Luiz Gonzaga e Antonio Conselheiro, entre outros autores nordestinos, foram algumas das personalidades destacadas. “Desenvolvemos um lindo trabalho de forma integral e espiral”, ressalta Lidiane. O primeiro passo foi trabalhar a pesquisa, depois, a apresentação em seminário as atividades mais lúdicas: confecção de cartazes, criação de cordéis das obras literárias (mais de dez obras lidas e criadas em cordéis), criação da autobiografia em forma de cordel, maquetes da vegetação e telas de xilogravuras.

Riqueza cultural emociona em apresentação

O grande projeto foi finalizado com uma linda apresentação teatral contextualizada, chamada “Regresso”, em que os alunos, do Infantil ao Ensino Médio, apresentaram a peça contando a história de uma adolescente nordestina que migra para a região Sudeste em busca de realizar seu sonho: ser dançarina! Durante o percurso da viagem, a protagonista visita cidades onde ocorrem mostras de talentos – os quais são apresentados pelos alunos: declamação de cordéis, música e dança.
O teatro encerra com uma linda mensagem: “Somos todos diferentes em nossas Múltiplas Inteligências, mas devemos ser respeitados de forma igualitária, por meio das nossas Inteligências Emocionais”.

“Autonomia, autocontrole, espírito empreendedor, coletividade, respeito às diferenças são nossas prioridades na busca da formação de cidadãos críticos e verdadeiramente atuantes em nossa sociedade”, conclui Lidiane.

Como fazer na minha escola:

– Buscar parceria com a comunidades local;

– Tentar implantar o Empreendedorismo Rentável integrando família, escola e comunidade;

– Dividir os segmentos: Educação Infantil e Ensino Fundamental I: Inteligências Emocionais e, então, aplicar atividades lúdicas relacionadas e guardar para a apresentação da Feira do Conhecimento, no final do ano.

Já os alunos maiores, Ensino Fundamental II e Ensino Médio, ficarão com as Inteligências Múltiplas e poderão escolher o Nordeste para trabalhar as personalidades dentro de um contexto interdisciplinar;

– Vincular o Projeto às datas comemorativas e eventos da escola, reunindo, assim, ao longo do ano letivo, muitas atividades de cartazes, maquetes, vídeos (apresentação dos seminários, cordéis, entre outros);

– Por fim, nas aulas de música e dança, trabalhar o tema por meio de uma peça de teatro que reúna todas as turmas.

Fotos: Instituto Educacional Marques Moraes

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *