Diversidade cultural na escola

Por SOMOS Educação

Engajado nas práticas sociais e na formação do cidadão de bem, comprometido com uma sociedade melhor, o Colégio de Aplicação Dom Hélder Câmara, da região de São Gonçalo (RJ), decidiu trabalhar a diversidade cultural desde os primeiros anos de vida escolar de seus alunos.

Com o tema “Consciência Negra e Etnias”, a escola introduziu o assunto na educação infantil. Para o trabalho acontecer, os professores realizaram o projeto “Consciência Negra respeitando as diferenças”, em que permitia aos pequenos alunos o conhecimento acerca das histórias e costumes da África, a cultura afro-brasileira e a existência do preconceito, infelizmente, na sociedade.

“Para levar esse tipo de assunto até os alunos da turma do Pré II, formada por crianças de cinco anos, promovemos rodas de conversas sobre assuntos da cultura afro-brasileira, bem como de suas diferenças, discutindo inclusive sobre relações preconceituosas”, explica a coordenadora do colégio, Cristiane Santos Lima Camilo.

Na prática, durante as rodas de discussão, a professora regente Karine Calixto dava oportunidade para que os alunos se colocassem contextualizando com a realidade vigente. Para enriquecer o debate, o grupo pesquisou na internet sobre hábitos e costumes da cultura africana, abordando a obra literária “Menina bonita do laço de fita”, de Ana Maria Machado.

“Foi realizada a leitura e interpretação do livro, com sua dramatização, a fim de trabalhar a realidade simbólica e os fatos abordados. Esse trabalho também foi enriquecido com oficinas de arte, músicas (canções africanas) e outras atividades”, detalha a professora.

O resultado desse engajamento foi maravilhoso. Ajudou o desenvolveu, na comunidade escolar, da consolidação de conhecimento e reflexões sobre a formação ética e o respeito à diversidade cultural. “Também fez com que nossos alunos se posicionassem de forma crítica frente aos assuntos do tema em questão, adquirindo valores e novas competências”, destaca Cristiane.

A iniciativa de ensinar diversidade aos pequenos acabou por se transformar em algo maior. O projeto desenvolvido em forma de exposição de trabalhos dos alunos resultou num projeto social dentro da comunidade escolar. Os alunos ainda despertaram o gosto por dramatização, artes, danças e musicalidade, e aprenderam como a discriminação e o desrespeito diante das diversas deve ser combatido.

Como fazer na minha escola

Defina claramente quais pontos serão abordados e qual estratégia usará para levar o assunto em sala de aula. Lembre-se que o material e a forma de passa-lo deve ser condizente com a idade dos alunos.

Escolha algum livro que ajude a tratar o assunto em sala. A nossa escola usou o “Menina bonita do laço de fita”, de Ana Maria Machado.

Promova rodas de discussão e, com o fomento de informações, permita que os alunos troquem relatos. Para que essas discussões sejam ainda mais ricas, acrescente atividades artísticas como ferramenta na transmissão do tema em sala.

A experiência será tão rica que é natural que o projeto se estenda para a comunidade escolar.

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *