Fazendo arte na língua espanhola: um panorama lúdico

Por SOMOS Educação

Todos os professores devem, com uma certa frequência, repensar a sua prática pedagógica; inclusive os de língua estrangeira. Principalmente quando se deparam com muitos dos alunos com dificuldades na absorção de conteúdos e, até mesmo, com aqueles que não sentem interesse pela disciplina.

Transformando a sala de aula num mundo de curiosidades

Certamente, muitos fatores contribuem para isso. Mas, para que haja um progresso, é preciso também que o profissional faça uma pausa, onde possa buscar alternativas para que as aulas sejam mais interessantes. Com isso, surgem as metodologias ativas, caminho de ensino ativo que cria oportunidades para que os alunos desenvolvam o papel de protagonistas na construção dos seus próprios conhecimentos, saindo, portanto, da posição de apenas receptores das diversas informações que lhes são expostas na sala de aula.

As maquetes com materiais recicláveis

E foi dessa forma que o professor de língua espanhola, Jean Brito da Silva, da Escola Construindo o 2000, em Nazaré da Mata, Pernambuco, desenvolveu algumas metodologias ativas para o ensino da língua espanhola, transformando a sala de aula num mundo de curiosidades, descobertas e interação com as diversas manifestações artísticas.

Construção de Maquetes

Seguindo a proposta do livro didático, uma das unidades do 5º ano despertava no estudante a curiosidade de conhecer os pontos turísticos da Argentina, dando ênfase aos ‘‘Trenes turísticos’’ (Trens turísticos) e aos ‘‘Trenes a las nubes’’ (Trens nas nuvens), para que, assim, eles pudessem chegar aos vocábulos das partes que compõem os trens.

A fim de não limitar o aprendizado apenas à teoria, foram construídas maquetes com materiais recicláveis, seguindo também a proposta da temática anual da escola ‘‘Viver em Sustentabilidade’’. Assim, foram identificados nos trens: ‘‘el porta equipaje, asiento, carril, rueda, via, cabina, maquinista, pasajero, locomotora.’’

Programe um dia para a aula-diversão

A proposta também foi lançada para os alunos do 7º ano, onde durante o estudo da unidade, puderam conhecer sobre as ‘‘Partes de la casa’’. Para que fizesse mais sentido, além de decodificar palavras espanholas, os alunos puderam construir suas próprias maquetes identificando cada espaço como “el salón, el comedor, la cocina, el pasillo, la habitación, el cuarto de baño, cuarto de aseo, la ventana, el tejado, el garaje, el timbre.” Em relação aos resultados alcançados, percebemos que houve um grande avanço na construção da escrita e na oralidade, assim como na ampliação do vocabulário, além da interação entre os alunos num clima lúdico de leituras, brincadeiras e aprendizagens. “E, sem dúvida, consigo perceber, enquanto professor de língua estrangeira, que é perceptível como o ensino da arte tem um papel importante no processo de ensino e aprendizagem do aluno, levando-os a um trabalho pedagógico que revela a competência da escrita, oralidade e também sua construção”, afirma Jean Brito da Silva.

‘‘Viver em Sustentabilidade’’

Como fazer na minha escola:

– Trabalhar em classe os respectivos conteúdos e, em seguida, pedir para que os alunos confeccionem materiais criativos referentes ao que aprenderam.

– Programar um dia para a aula-diversão.

Para ver outros projetos de destaque na educação navegue em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7.

Fotos: Escola Construindo o 2000 / Divulgação
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *