Lições sobre economia e educação financeira

Por SOMOS Educação

No Brasil, muitas famílias sofrem com a falta de controle de gastos. Isso acontece, na maioria das vezes, pela falta de conhecimento sobre as melhores formas de planejar, aplicar e utilizar o dinheiro. Para ajudar a mudar esse cenário, o Colégio Teófilo Rezende, de Belo Horizonte (MG), envolveu seus alunos do 2º ano do Ensino Fundamental em um grande projeto de Educação Financeira.

Educação Financeira é fundamental
Educação Financeira foi tema de projeto

“A escola pode contribuir na promoção de boas práticas e na conscientização do planejamento financeiro desde cedo. Para isso, criamos um projeto que pudesse aprimorar habilidades comportamentais empreendedoras”, explica a professora Michele Honorata Rodrigues.

Para Michele, “dessa forma, acreditamos desenvolver um olhar à resolução de grandes desafios, além da conscientização de um consumo mais consciente. Mais do que isso, desenvolvemos junto aos estudantes a lógica de um planejamento financeiro.”

Atividades para habilidade financeira

O projeto teve duração de um semestre. Durante esses seis meses, a escola promoveu uma série de atividades ligadas à educação financeira. Para explorar o tema, os alunos foram incentivados de diversas formas.

Na área da pesquisa, os estudantes foram convidados a elaborar uma lista de supermercado. “Aproveitamos essa atividade para discutir sobre as prioridades do orçamento doméstico. Fizemos também uma análise de consumo e falamos sobre cédulas e preços de produtos”, conta a professora Michele.

Para envolver a leitura e a escrita, os alunos do Colégio Teófilo Rezende fizeram gráficos, além de trabalharem conceito de contagem, cálculos e solução de problemas.

Dinheiro e educação financeira
Alunos aprendem a lidar com o dinheiro

A arte também esteve presente no projeto, através de atividades de recorte e de colagem. Isso, sem deixar de destacar as atividades práticas com cédulas, onde os alunos puderam falar sobre produtos mais caros e mais baratos, a consciência de desperdício de dinheiro, além de diferenciar desejo de necessidade.

Sala transformada em mercadinho

Outra atividade que proporcionou bastante aprendizado aos alunos foi a organização de um mercadinho dentro da sala de aula. Assim, os alunos aprenderam sobre a disposição dos produtos, além da origem do dinheiro e o conceito de soma e troco.

Por fim, cada estudante confeccionou um cofrinho com material reciclável onde, com o auxílio da professora, puderam aprender sobre economia. “Dessa forma, ensinamos as crianças a administrarem o dinheiro e a realizarem o planejamento financeiro”, destaca Michele.

Na conclusão do projeto, cada aluno teve a oportunidade de abrir o cofrinho com sua família, sendo orientado a comprar algo que gosta com o dinheiro economizado durante todo aquele período.

Como fazer em minha escola:

– Estipule um prazo para a realização do projeto. Nesse caso, o prazo foi de sei meses;

– Durante esse período elabore diversas atividades relacionadas à educação financeira;

– Diversifique na forma de ensinar. Utilize leitura, pesquisas, arte e simulações.

– Auxilie os alunos na confecção de cofrinhos. Ajude-os a poupar e administrar o dinheiro;

– Conclua o projeto com a abertura dos cofrinhos, de modo que os estudantes possam utilizar o dinheiro como planejado.

A importância de se planejar financeiramente
A importância de se planejar financeiramente

Para ver outros projetos de destaque na educação navegue em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7.

Fotos: Colégio Teófilo Rezende

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *