Massa para modelar e fixar conhecimento

Por SOMOS Educação

Lúdico, didático e atrativo. Essas são as palavras que melhor traduzem a iniciativa do Colégio Monteiro Lobato, de Alvorada do Sul (PR), no ensinamento da divisão celular para seus alunos do 3º ano do Ensino médio. Para representar cada uma das fases da divisão, os alunos foram estimulados a usar massa de modelar.

“Para tornar o processo de aprendizagem mais efetivo e dinâmico, é muito importante a utilização de ferramentas estratégicas, como aplicações de práticas prazerosas aos alunos. Assim, para a execução desse trabalho, após assistirem as aulas presenciais sobre mitose e meiose, os alunos receberam a massa de modelar e essa proposta prática bem interessante”, explica a professora do colégio, Paula Cerezini.

Mãos na massa

Para organizar a atividade, os alunos foram separados em grupos. Cada um fez uma representação esquemática das fases da mitose e da meiose, usando massinha de modelar colorida.

“Com esse material, foi possível esquematizar como o núcleo celular se encontra em cada fase e quais os eventos que nelas ocorrem”, explica a professora.

Ludicamente e, literalmente, colocando as mãos na massa, os estudantes entenderam todo o processo de mitose, onde ocorre a divisão do material hereditário de uma célula-mãe para duas células-filhas, de modo que ambas tenham o mesmo número de cromossomos.

De acordo com Paula Cerezini, os alunos puderam compreender cada fase que compõe a mitose. “Desde a prófase, onde os cromossomos começam a se condensar e as fibras se formam em volta dos centríolos, passando pelas metáfase e anáfase, até chegar na telófase, onde as cromátides já foram puxadas para extremidades opostas e a separação do material genético já aconteceu”, descreve a professora, que complementa. “Então, ocorre a citocinese, isto é, a célula começa a se dividir. O plasma se divide e o núcleo deixa de estar condensado. O envoltório nuclear e o nucléolo retornam e as fibras do fuso desaparecem.”

A meiose foi igualmente detalhada por meio da massinha de modelar, sendo ilustrada todo o processo, com suas duas divisões celulares.

O processo inicia-se com uma célula que tem 2n cromossomos e resulta em quatro células-filhas, cada uma com n cromossomos. A célula começa a primeira divisão meiótica depois de replicar seu DNA, de modo que seus cromossomos passam a apresentar duas cromátides.

“Novamente, todas as fases foram modeladas na massinha: a prófase, metáfase, anáfase e telófase I e II, culminando na reorganização dos núcleos e organelas e na citocinese, fase final dos processos de divisão celular”, descreve Paula.

Foto e vídeo

Depois de modelar na massa, cada etapa da divisão celular foi fotografada. A fase seguinte foi elaborar um vídeo a partir das fotos tiradas, o que permitiu mostrar didaticamente os eventos que ocorrem durante esses processos (veja abaixo dois desses vídeos).

 

Para a professora, a atividade cumpriu o objetivo. “Os alunos puderam compreender melhor as fases que compõem as divisões celulares e a diferença principal entre elas. Mais além, todo o material pode ser utilizado para outros estudantes, para otimizar a aprendizagem do conteúdo”, conclui Paula Cerezini.

Como fazer na minha escola:

– Disponibilize para os alunos massinha de modelar de diversas cores;

– Ilustre nas massinhas cada uma das etapas da divisão celular;

– Registre cada etapa em fotos;

– Por fim, elabore um vídeo com as fotos tiradas. Assim, os alunos conseguirão visualizar como ocorre todo o processo.

Quer conhecer outros projetos de destaque na educação? Saiba mais em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7.

Foto e vídeo: Colégio Monteiro Lobato
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *