Mostra científica atrai alunos e auxilia na construção do conhecimento

Por SOMOS Educação

Em Goianésia, município de Goiás, a Escola Luiz César de Siqueira Melo mostrou como a ciência pode não só ajudar na construção do conhecimento de seus estudantes, como também atrair alunos para a instituição de ensino.

Para isso, o colégio mobilizou professores e alunos do Ensino Fundamental I e II na elaboração e realização de sua Mostra Científica, apresentada durante a Semana Nacional de Ciências e Tecnologia (SNCT), no mês de outubro.

“O evento foi concebido para ter um caráter interdisciplinar, que envolvesse a participação de todos, no intuito de desenvolver atividades que atendam a proposta temática da SNCT e que fomentasse o desenvolvimento da visão científica com foco na busca por soluções para os problemas cotidianos das pessoas, por meio de atitudes e visões empáticas, humanas e fraternas”, conta o professor Alessandro Romeiro de Jesus.

Neste ano, o tema da semana especial foi “A matemática está em todo lugar”.

Na avaliação do professor Alessandro, mais do que construir a curiosidade pelo saber, o evento permitiu outras conquistas importantes. “Através da ciência aplicada na prática, também observamos a construção de laços cognitivos, que possibilitarão uma visão holística do conhecimento humano, levando-o a encontrar respostas para questionamentos em diferentes áreas do conhecimento”.

A visualização dos princípios de liderança, principalmente nas turmas de Ensino Fundamental II, e o respeito pelas diferenças – quando os mais novos visitavam as apresentações dos mais velhos – que adequavam a linguagem para que os pequenos pudessem compreender melhor e quando os mais velhos visitavam as apresentações dos mais jovens, foram outros valiosos benefícios dessa experiência.

A mostra científica é grande atrativo.

Evento já faz parte do calendário

Apesar de essa ter sido apenas a segunda edição do evento no colégio, o sucesso da mostra científica foi tanto que gerou um grande envolvimento dos alunos. O público presente, em sua maior parte composto por responsáveis e familiares dos alunos-cientistas, foi maior e mais participativo.

Outo impacto positivo e significativo foi o aumento no número de procura por matrícula para o ano de 2018 logo nas semanas posteriores ao evento. “Isso sempre acompanhado da pergunta: ano que vem haverá ‘Feira de Ciências’? Ou seja, o evento não só motivou os alunos que aqui estudam como também cativou quem pode vir a estudar”.

Como fazer na minha escola

Primeiramente, é necessário um debate amplo, cauteloso e focado na proposta de trabalho de longo prazo fundamentado em dois pilares: o trabalho interdisciplinar e o trabalho baseado em projetos. Ambos com foco na temática proposta pelo Ministério de Ciências e Tecnologia para a Semana Nacional de Ciências e Tecnologia.

A temática é definida durante a realização da SNCT do ano anterior. Assim, o tema para 2018 já está definido e será: “Ciência para a Redução das Desigualdades”.

Como os temas sempre possibilitam um trabalho extremamente amplo, é fundamental a participação de todos os professores, coordenadores e direção a respeito de qual é o resultado que esperam alcançar. Partindo dele, definir os diversos objetivos específicos que pode-se conquistar segundo as diferentes vertentes que poderão ser trabalhadas.

A partir daí, deve-se iniciar o trabalho e discutir qual dever ser a profundidade e as diferentes possibilidades que o tema permite. Sugerimos que o trabalho diretamente relacionado com os alunos seja iniciado com quatro meses, no mínimo, antes da culminância e que esta ocorra em outubro, juntamente com a Semana Nacional de Ciências e Tecnologia.

É fundamental o uso dessa estratégia para que a instituição de educação faça a inserção do evento no portal do Ministério de Ciência e Tecnologia, dando divulgação para a ação desta instituição promotora do evento, ao mesmo tempo em que aumenta o número de projetos desenvolvidos na SNCT. Ao fazer isso, deve-se elaborar um edital com todas as normas que orientarão o desenvolvimento do trabalho e que definirá os critérios e premiações, se for o caso.

No dia da reunião de professores, deverá ser criada uma comissão de docentes que se responsabilizarão por orientar, sanar dúvidas e propor atividades a respeito do tema (aconselhamos que estes professores tenham formação na área de ciências e experiência com trabalhos práticos), evitando que aconteça repetição de trabalhos.

Dentro do edital, também é preciso que se insira uma das datas mais importantes para o sucesso do evento: o “Exame de Qualificação”. Ele segue padrões semelhantes ao que já existe no meio acadêmico das pós-graduações Strictu Sensu no Brasil e representa a prova de que o trabalho está apto a ser avaliado de forma definitiva no prazo estabelecido. Assim, no dia da “Qualificação”, a equipe da Comissão de Professores irá visitar todas as salas e avaliar o que o trabalho já possui de pronto e o quanto os alunos já dominam a respeito do tema que irão desenvolver.

O rigor é fundamental neste momento, pois faltando um mês para a execução da atividade, é aceitável que no mínimo 50% do projeto já esteja concluído e que todos os alunos envolvidos com o projeto já dominem os assuntos a serem trabalhados no dia da apresentação.

As outras etapas são muito variáveis, pois dependerá do local, disponibilidade financeira, equipamentos audiovisuais da escola, entre outros.

Foto: Escola Luiz César de Siqueira Melo

 

Compartilhe nas suas redes

2 comentários em “Mostra científica atrai alunos e auxilia na construção do conhecimento

  • 12 de março de 2018 em 15:28
    Permalink

    Foi um trabalho realmente surpreendente. Houve o envolvimento de todos os alunos e professores. A participação dos familiares (pais, avós, tios e irmãos) e amigos de alunos foi também motivador. Os alunos se sentiram proprietários daquilo que demonstravam e explicavam, sentindo-se emponderados, percebendo o quanto é prazeroso o poder que o conhecimento nos impõem. Durantes os meses seguintes ouviu-se muito sobre o evento, dentro e fora dos limites físicas da Escola. Parabéns aos colegas, aos alunos e à equipe gestora.

    Resposta
    • 10 de abril de 2018 em 16:42
      Permalink

      Alessandro, que legal ouvir isso! Acreditamos que os alunos são protagonistas de seu ensino e é assim que deve ser! Parabéns pelo projeto e continue inspirando mais escolas compartilhando aqui na nossa rede! Abraço!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *