Preservação ambiental: semente muito bem regada

Por SOMOS Educação

O Colégio Prisma, de Osasco, na Grande São Paulo, envolveu seus alunos do ensino Fundamental II em um projeto ligado diretamente à preservação ambiental. Chamada de “Arbor Day”, a iniciativa proporcionou muita reflexão e destacou a responsabilidade de cada um para um planeta melhor.

“O objetivo desse projeto foi fazer com que os alunos refletissem sobre os impactos das ações humanas sobre o excesso da produção do gás carbônico, principal gás responsável pelo aquecimento global, além de relacionar esses dados com o ritmo do desmatamento e do reflorestamento”, destaca a professora Carla Polis Sperandio Inocêncio, do Colégio Prisma. Mais do que pesquisar, a atividade focou quanto a conscientização pode fazer a diferencia em cenários como o que o planeta está inserido.

Muita pesquisa com a temática ambiental

Através de pesquisas atualizadas sobre a produção de gás carbônico por pessoa/dia e o sequestro de gás carbônico por cada árvore adulta/ dia, os alunos construíram gráficos para maior clareza na identificação das informações. “Através desse levantamento, os alunos observaram que seriam necessárias 44 árvores adultas para sequestrar o que um ser humano em repouso metabolicamente produz de CO2/dia”, afirma Carla.

Nas pesquisas, também foram confrontados dados como o quanto cada ser humano consome de O2 e quanto uma árvore produz de O2. Depois, levantaram dados sobre a população do bairro onde está inserida a escola e o quanto de árvores seriam necessárias para balancear a produção de CO2.

“Muito envolvidos no projeto, nossos alunos  tentaram contato com a prefeitura para saber dados sobre a cobertura vegetal da região. Infelizmente, não obtiveram resposta e, então, inspirados na ação de um norte-americano chamado Julius Stirling Morton, que em 1872 promoveu no estado de Nebrasca, nos Estados Unidos, um dia dedicado a ações de reflorestamento e arborização de zonas centrais das cidades, promoveram algo parecido”, ressalta a professora.

A ação ficou conhecida como Arbor day (Dia da Árvore) e, quase 100 anos depois, em 1971, a Organização das Nações Unidas para alimentação e agricultura estipulou o dia 21 de março como o Dia Internacional das Florestas. “A data especial foi outro fator motivador para que os alunos também comprassem ou produzissem mudas e as distribuíssem numa ação social de conscientização. Foram 100 mudas árvores frutíferas tropicais”, explica a professora Carla.

Informação e conscientização

Durante a distribuição das mudas, os alunos alertavam a comunidade sobre os dados levantados em suas pesquisas e conscientizavam as pessoas sobre a importância de preservar as plantas e o meio ambiente.

“Alguns alunos optaram por construir bandeiras com representações dramáticas e dados sobre o aquecimento global e suas consequências”, conta a professora Carla. O projeto ainda contemplou a construção de uma árvore de recados formada por Post- It, com bilhetes sobre as vantagens de se preservar as árvores. Essa árvore foi inserida num painel que ficou exposto durante a ação social, semeando a necessária conscientização ambiental em busca de um planeta melhor.

Como fazer na minha escola:

– O primeiro passo é abrir uma discussão sobre o cenário atual do aquecimento global, explorando possíveis prejuízos a curto e longo prazo;

– Pesquise e incentive os alunos a pesquisar informações ligadas ao tema, como, por exemplo, quanto uma pessoa adulta em repouso produz de gás carbônico diariamente; confronte com a quantidade que uma árvore adulta consegue sequestrar de CO2 /dia;

– Levante o índice demográfico do bairro onde a escola está inserida, calculando a quantidade de árvores necessárias para equilibrar a produção e o sequestro de CO2/dia; aproveite ainda para pesquisar sobre a velocidade de desmatamento e de reflorestamento no Brasil;

– Com todos os dados levantados, incentive os alunos a construir gráficos interdisciplinares com matemática para melhor interpretação dos dados;

– Outra ideia é construir uma árvore de Post-It com informações sobre a importância de preservação do meio ambiente;

– Por fim, sugira aos alunos que produzam suas mudas de árvores frutíferas. Caso não seja possível, elas podem ser compradas em locais como o CEASA;

– Essas mudas podem ser distribuídas no entorno da escola, em uma ação de conscientização sobre a importância de se preservar o meio ambiente, evitar o desmatamento e contribuir com o reflorestamento.

Para ver outros projetos de destaque na educação navegue em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7

Fotos: Colégio Prisma
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *