Uma nova forma de ensinar polígonos

Por SOMOS Educação

Como atrair os alunos para o aprendizado de conteúdos mais técnicos, como por exemplo o cálculo de diagonais dos polígonos? O Colégio 24 de Março, de São Paulo, encontrou uma boa fórmula através do projeto “Mandalas com Diagonais de um Polígono.

“O projeto foi pensado para os estudantes do Ensino Fundamental II. Nosso foco era dar base para os alunos no cálculo de diagonais de um polígono e até utilizá-lo na fórmula de Bhaskara. Mas, tínhamos o desejo de passar esse ensinamento de um jeito que conquistasse o interesse deles para esse conteúdo”, explica o professor Luís Alberto Fernandes Viana.

O professor conta que era perceptível a falta de experiência dos alunos com o uso de régua e transferidor. “Então, decidimos introduzir o uso dessas ferramentas lentamente. Primeiro, ensinamos como somar os ângulos externos de um polígono junto com o transferidor. Depois, somatizamos o conhecimento com o cálculo do ângulo externo de um polígono. O próximo passo foi adaptar o conceito no transferidor do círculo completo.”

Polígonos: alunos aprendem a usar transferidor
Alunos aprendem a calcular ângulos de polígonos

Desafios dos polígonos

Na prática, os estudantes construíram inicialmente um triângulo. Depois, eles foram desafiados a construir quadrilátero, pentágono e hexágono. “Nesses dois últimos, construímos as diagonais passo a passo na lousa como exemplo. Demos o conceito da fórmula das diagonais e, quando os alunos aprenderam, revelaram interesse em conhecer novas diagonais e novas construções de polígonos”, destaca o professor.

Atraídos pelo novo conteúdo, os alunos enriqueceram conhecimento. “Tivemos estudantes que pesquisaram sobre os polígonos que sucediam àqueles aprendidos. Foi assim que o desafio cresceu. Inclusive, com alunos fazendo diagonais de um polígono com 24 lados, após terem construído as diagonais de um dodecágono”, diz Luís.

Arte na construção dos polígonos
Arte na construção dos polígonos

Para que o projeto seja realizado de forma plena e eficaz, o professor orienta para a variedade de materiais. “Para a construção de polígonos maiores, seria interessante disponibilizar canetas com ponta mais fina. Sem contar o lápis, transferidores circulares (360°), borracha e uma régua”, indica Luís. Ele conclui: após a construção dos polígonos, deixe que a criatividade conduza os alunos para pintar, sombrear e enriquecer os trabalhos ainda mais. Os resultados serão lindos!”

Arte nos polígonos
Arte nos polígonos

Como fazer na minha escola:

– Transforme a aprendizagem sobre polígonos em uma atividade que envolva arte e muita criatividade;

– Disponibilize para os alunos materiais como: lápis, borracha, transferidor circular (360°) e régua (pode ser de 20 cm).

– Após o ensinamento sobre os polígonos, incentive os alunos a construírem e pintarem suas mandalas. Aproveite o momento até para mostrar que é possível fazer mandalas geométricas ainda mais elaboradas. Para isso, basta aumentar os lados dos polígonos;

– Assim que concluídos, os trabalhos podem ser expostos em um mural.

Para ver outros projetos de destaque na educação navegue em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7

Fotos: Colégio 24 de Março
Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *