Uma volta ao redor do globo

Por SOMOS Educação

Vem do Colégio Educar, em Londrina (PR), o projeto “Feira das Nações” – desenvolvido juntamente com a campanha “Educar para o Bem”, em agosto deste ano. A iniciativa, associada às atividades escolares, proporcionou aos professores e alunos a oportunidade de buscar conhecimentos sobre as características socioeconômicas, ambientais, históricas, culturais, geográficas, científicas e políticas de vários países escolhidos ao redor do globo pelas turmas do Ensino Infantil e do Ensino Médio.

“A partir das pesquisas sobre cada nação surgiu a ideia de propagação de mensagens positivas – escritas em garrafas para serem repassadas entre amigos e familiares de cada aluno. O objetivo do projeto foi possibilitar a ampliação de uma visão de mundo a partir do conhecimento dos diferentes aspectos socioculturais dos países abordados, seja através da música, dança, culinária, geografia, história, economia e atualidades. Buscou-se ainda, com a iniciativa, desenvolver nos docentes e discentes a capacidade de pesquisa, criatividade e organização”, explica a coordenadora Maria Cristina Sampaio Nunes.

Mensagens positivas

Paralelamente ao projeto, ao propagar mensagens do bem e cultivar atitudes otimistas entre a comunidade escolar e os amigos, alguns alunos do Ensino Médio, orientados pela coordenadora Maria Cristina Sampaio Nunes, pintaram frases com mensagens assertivas em garrafas vazias, de diferentes formatos e tamanhos, e que foram entregues pelos alunos aos pais e repassadas entre seus familiares, sensibilizando-os para a prática do bem e atitudes positivas em razão da observação dos conflitos, violência, preconceito racial, intolerância religiosa e cultural, disputa de poder e territórios observados entre as nações pesquisadas.

Todas as faixas etárias do Colégio Educar tiveram acesso ao projeto “Feira das Nações” – Educação Infantil, Ensino Fundamental I e II e Ensino Médio – cada qual trabalhando de acordo com sua capacidade e habilidade dentro do tema proposto. As turmas iniciais foram orientadas pelos seus professores e, para o 6º ao 9º ano e Ensino Médio, foram distribuídos de dois a três professores, responsabilizando-se pelo monitoramento das pesquisas, elaboração de cartazes, construção de maquetes, coleta de objetos típicos de cada país e montagem dos espaços para exposição.

Selecionando os países

Os países escolhidos pelos alunos para essa “Festa das Nações” foram: Brasil, Alemanha, Argentina, Portugal, Inglaterra, França, Índia, México, Grécia, Japão e Itália. As pesquisas e a elaboração dos trabalhos tiveram início três meses antes da data programada para o evento. Trabalhou-se o tema durante algumas aulas semanais e como tarefa de casa pelos alunos. A cada país foi reservado um espaço para exposição das pesquisas em forma de cartazes, maquetes, fotografias, objetos, trajes, alimentos e artesanato típicos, e todos os alunos participaram apresentando o conteúdo estudado aos visitantes.

Além dos espaços específicos de cada país, dispostos na quadra do colégio, o trecho da rua em frente à escola foi interditado e transformado em uma praça de alimentação com mesas, cadeiras e food trucks, com comidas típicas de alguns países pesquisados, com destaque para o delicioso sukyiaki, preparado e servido no local pelos próprios japoneses.

No decorrer do evento foram tocadas músicas das diferentes nações ali apresentadas. Como atração musical da Argentina, um casal de dançarinos apresentou um tango, muito elogiado pela coreografia e sintonia dos parceiros, revelando o clima romântico e sensual característico do estilo. “Já um dos momentos mais apreciados da feira foi o Bon Odori, uma dança folclórica japonesa de participação coletiva, apresentada pelo Grupo Hikari de Londrina, do qual fazem parte os diretores do colégio, Marco Antonio e Denise. As batidas dos tambores e a coreografia conquistaram alunos e visitantes da Feira, que se misturaram ao grupo de dançarinos, contagiados pelo ritmo e alegria da dança”, revela a coordenadora Maria Cristina Sampaio Nunes.

Guardando para a posteridade

Para que a “Feira das Nações” do Colégio Educar ficasse gravada na memória dos alunos, familiares e visitantes – sensibilizando-os para o fato de que são muitas as nações, os povos com hábitos e culturas diferentes, mas que apesar das diferenças podemos nos unir e lutar por um mundo melhor, de paz e cordialidade entre as nações, praticando a virtude -, a campanha “Educar para o Bem” presenteou os visitantes com as “Garrafas do Bem”.

Na entrada da quadra foram montadas duas mesas para expor as “Garrafas do Bem” com as mensagens positivas. Em cada garrafa havia uma tag amarrada com cordinha de sisal, parabenizando quem a recebeu e explicando que o objetivo da campanha era espalhar mensagens positivas entre os familiares e amigos, portanto não deveriam guardá-la para si por muito tempo, mas dá-la de presente a uma pessoa escolhida para que essa também pudesse refletir e adotar a prática do bem – repassando a garrafa a outros.

Sucesso garantido

Entre as mesas colocou-se uma moldura de coração, decorada com as bandeiras dos países ali representados, para que os visitantes pudessem tirar fotos do momento em que presenteavam uma pessoa especial com a “Garrafa do Bem”. A Feira das Nações foi um evento muito elogiado pelos pais, que puderam apreciar o resultado da organização por parte da equipe de coordenadoras e diretores, além da dedicação dos professores e alunos na apresentação dos países pesquisados.

“Eventos como este possibilitam aos pais momentos de participação na vida escolar de seus filhos e promovem uma maior integração entre família e escola. Foi uma festa da “Família Educar”, como carinhosamente chamamos todos os colaboradores do colégio, alunos e familiares. A repercussão foi tão motivadora que nos levou a pensar em repetir o evento, uma segunda “Feira das Nações”, onde novos países serão representados -procurando contemplar cada um dos continentes”, afirma Maria Cristina Sampaio Nunes.

Como fazer na minha escola:

Passo a passo para a realização de uma “Feira das Nações”:

Elaborar um projeto com justificativa, objetivos e apresentar aos professores especificando todos os aspectos de cada país que devam ser pesquisados para que assim possam orientar os alunos em suas pesquisas. Aspectos históricos: surgimento ou descobrimento; povos que influenciaram a história; principais fatos históricos ocorridos no país. Comparar historicamente o país estudado em tempos diferentes: a história do país na época da formação e atualmente. Identificar o sistema político, educacional e pessoas que tiveram grande importância na história do país. Aspectos culturais: esportes, danças, símbolos do país, comidas típicas, músicas, folclore, arquitetura, artesanato, destaque nas artes, curiosidades sobre o país e povos nativos e seus colonos. Aspectos geográficos e econômicos: clima, mapa, bandeira, hidrografia, fronteiras do país, extensão territorial, renda per capita, densidade demográfica e economia do país. Aspectos científicos e naturais: riquezas minerais, recursos naturais, fauna, flora, tipo de vegetação, solo, descobertas científicas e avanços tecnológicos. Identificação das ciências, em especial a Matemática, no processo de crescimento do país.

Estabelecer os professores responsáveis por cada turma.

Elaborar um cronograma com a data para início dos trabalhos, os dias que serão realizadas as pesquisas e atividades relacionadas à feira (para não comprometer as atividades e conteúdo de cada disciplina) e a data para a realização do evento.

Apresentação do projeto aos alunos, pelos professores responsáveis, e escolha dos países que serão representados. Orientá-los na escolha para que todos os continentes tenham pelo menos um país pesquisado. (Essa foi uma falha da feira que realizamos pois deixamos a escolha a critério dos alunos e não nos atentamos de que a maioria dos países escolhidos foi da Europa e faltou de outros continentes).

Solicitar que os professores responsáveis pelas turmas apresentem um projeto à Coordenação especificando o país escolhido, a metodologia que será usada, como será a apresentação, os recursos materiais e espaço físico necessários.

Definir com os professores os critérios para a avaliação: pesquisa, organização da equipe em montar e desmontar o estande para apresentação do trabalho; limpeza, organização e criatividade na apresentação do estande; domínio e conhecimento do conteúdo apresentado.

A coordenação deve acompanhar o desenvolvimento dos trabalhos para que sejam feitos da melhor maneira possível auxiliando os professores em suas necessidades e providenciando o material apropriado para a execução dos trabalhos.

Verificar o material que a escola pode fornecer aos alunos e caso necessitem de material extra, não fornecido pela escola, enviar bilhetes para os pais solicitando o material ou recursos financeiros para aquisição dos mesmos.

Definidos os países e caso queiram a presença de food trucks com comidas referentes aos mesmos, entrar em contato com os proprietários dos food trucks para agendar data e outras negociações necessárias.

Para o dia do evento providenciar som, mesas, murais e demais recursos materiais solicitados pelas equipes.

Registrar as fases do trabalho com fotos e vídeos.

Providenciar a divulgação do evento através do site da escola, panfletos e bilhetes.

Confeccionar os crachás para os professores e para cada aluno com seu nome e o país que está representando. Toda a equipe escolar deve estar identificada com crachá contendo o nome da escola, do evento e da pessoa.

Caso pretendam fazer a pintura nas garrafas, solicitar aos alunos, professores e demais funcionários que tragam garrafas vazias que deverão ser lavadas e completamente limpas por fora para retirada de rótulos e cola. (Usar removedor para a limpeza de resíduos de cola).

Selecionar várias frases relacionadas à mensagem que deseja transmitir utilizando letras de estilos diferentes para dar um ar mais artístico à peça.

A pintura ou escrita foi realizada com as canetas da marca “Posca”, com diferentes espessuras, dando preferência à cor branca que mais se destaca no vidro.

Criar uma tag com texto explicativo sobre a finalidade da garrafa e instruções necessárias. Colocar o nome do colégio, logomarca para propaganda e divulgação da escola.

Registrar, se possível, o momento de entrega das garrafas.

Usar as redes sociais, Facebook da escola e site para divulgação do evento e compartilhamento com as famílias.

Para ver outros projetos de destaque na educação navegue em https://www.rededeexperiencias.com.br/na-pratica. E se sua escola também promove e incentiva a participação dos alunos em projetos incríveis, compartilhe conosco em https://bit.ly/2HRdQQ7.

Fotos: Colégio Educar

 

Compartilhe nas suas redes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *