Meu aluno aprendeu? Uma reflexão sobre avaliação na escola digital

Por André Leite/ Somos Educação

Vivemos em um mundo com rápidas e marcantes transformações nas mais diversas áreas, o que determina uma necessidade de adaptação e ajuste no que se refere ao processo de aprendizagem. Algumas destas mudanças são lentas e gradativas, quase despercebidas. Porém, estamos vivendo uma brusca transformação imposta pela pandemia da Covid-19, o que acarretou impactos nunca antes vistos no cenário educacional, intensificando o modelo de escola digital ou educação digital. 

Provavelmente, os mecanismos de avaliação dos alunos sejam um dos aspectos mais relevantes e preocupantes dentro deste contexto, visto que a avaliação da aprendizagem deve estar a serviço da ação pedagógica (HOFFMAN, 2001). Inserir e integrar as especificidades trazidas pela escola digital na elaboração de modelos e estratégias de avaliação coerentes com o novo cenário educacional é uma ação que, inclusive, está além da evolução das teorias, ou seja, está no amadurecimento das práticas deste novo formato.

A educação on-line demanda, portanto, a construção de novos conceitos e práticas pedagógicas que respondam às necessidades de alunos e professores que atuam nessa modalidade de ensino. Especial desafio é o da avaliação das aprendizagens. A partir do exposto, foram desenvolvidas muitas ferramentas de avaliação nos ambientes digitais de aprendizagem, entre elas o portfólio. Existem diversas formas de se construir um portfólio, podendo ser físico ou digital. Considerando o contexto apresentado serão abordados aspectos relacionados ao formato digital e suas possibilidades, conduzindo a um processo de reflexão através do diálogo para que posteriormente esta estratégia possa ser aplicada nas escolas em todos seus segmentos. 

O portfólio como estratégia de avaliação digital

O portfólio baseia-se no detalhamento documentado dos conhecimentos adquiridos pelos envolvidos e, além de selecionar e ordenar evidências de aprendizagem do aluno, possibilita identificar questões relacionadas ao modo como os estudantes e os educadores refletem sobre os reais objetivos de sua aprendizagem, quais foram cumpridos e quais não foram alcançados (SELDIN, 1997).

O uso do portfólio vem sendo apontado como uma das mais recentes contribuições facilitadoras para uma avaliação formativa e somativa eficaz, sendo considerado pela Association for Supervision and Curriculum como um dos três melhores métodos de ensino-aprendizagem (ALVES, 2003). 

Avaliação digital: novos métodos para os professores 2
Avaliação digital: novos métodos para os professores

De acordo com Shores e Grace (2001), dois portfólios nunca são iguais, porque todos somos diferentes, assim suas atividades pedagógicas também devem ser diferentes. Da mesma forma, dois professores não deveriam criar portfólio que sejam exatamente iguais, embora possam utilizar o mesmo princípio e as mesmas estratégias de montagem desse material.

Para se iniciar a construção de um portfólio, pode-se utilizar uma referência que envolve oito momentos e suas respectivas ações, porém é importante destacar que estes representam exemplos e não sugestões. 

MOMENTOSAÇÕES
Política de portfólioConjunto de regras básicas
Coleta de amostras de trabalhos escritosFazer comentários e escrever registros 
Coleta de amostras visuaisRegistros fotográficos
Refletir sobre as atividadesNovas descobertas e novos entendimentos, diário de bordo
Aprender mais sobre os alunosEntrevistas
Registro sistemáticoRubricas de itens
Análise do portfólioReuniões em três vias: educador, educando e família
Procedimentos para armazenarGoogle Classroom, Sites.

Para se garantir segurança na coleta de dados através das observações e percepções dos professores, é recomendável utilizar rubricas de avaliação* associadas ao portfólio. Como exemplo: 

* Rubrica é um sistema de classificação pelo qual o professor determina a que nível de proficiência um estudante é capaz de desempenhar uma tarefa ou apresentar/evidenciar conhecimento de um conteúdo/conceito (Airasian, 1991), (Popham, 1995).

* exemplo de modelo

CRITÉRIOS
 1234Créditos
OrganizaçãoNão é possível compreender a apresentação. Dificuldade de acompanhar a apresentação devido a ruídos.Aluno apresenta informação em sequência. Aluno apresenta informação em uma interessante sequência lógica.  
Conhecimento do ConteúdoO aluno não teve compreensão da informação.O aluno não está à vontade com a informação.O aluno está com facilidade.O aluno demonstra total conhecimento (além do exigido).  
VisuaisO aluno não usou visual.O aluno raramente usou visuais. Visuais relacionados a apresentação.Aluno usou visuais para reforçar a apresentação. 
MecanismosA apresentação do aluno tem quatro ou mais erros.A apresentação tem três ou mais erros .A apresentação tem no máximo de dois erros. A apresentação não tem erros.  
ExposiçãoO aluno balbucia, pronuncia termos incorretamente. O aluno pronuncia os termos incorretamente. A voz do aluno é clara. O aluno pronuncia as palavras corretamente.O aluno usa uma voz clara, correta e precisa na pronuncia dos termos. 

Programas digitais para registro das atividades dos alunos e acompanhamento pelos professores.

Existem diversos programas capazes de permitir a inserção das atividades dos alunos em relação a formação de seu arcabouço de registros para compor seu portfólio. Devido a facilidade de acesso e ao hábito de grande parte dos alunos no Brasil, as ferramentas Google são mais recomendadas, destacando o Google Sites e o Google Classroom. Para isso é importante que os professores saibam lidar com estas ferramentas e adaptá-las às diversas propostas.

Sendo um tema extremamente delicado e complexo, a avaliação em um contexto de escola digital deve ser discutida e elaborada de acordo com a realidade de cada escola, de cada região. As particularidades da proposta pedagógica definirão os caminhos a serem seguidos na elaboração dos métodos avaliativos, entre eles o portfólio digital. Assim, não há uma limitação ou delineamento e, sim uma discussão coletiva em que a diversidade de ideias e debates fomentem os ajustes necessários para um processo justo e eficiente.

É preciso debater diferentes métodos para se chegar a um processo justo e eficiente

Temas complementares

– O que avaliar além das atividades escolares.

– Avaliação humanizada multidimensional.

– Ferramentas Google para avaliação digital.

– Como utilizar o portfólio nas aplicações e vestibulares.

BIBLIOGRAFIA

AIRASIAN, P.W.: Classroom assessment. N.Y.: McGraw-Hill (1991)

ALVES, L. P. Portfólios como instrumentos de avaliação dos processos de ensinagem. In: ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (Orgs). Processos de ensinagem na universidade. Joinville: UNIVILLE; 2003. 

HOFFMANN, J, Avaliar para Promover, Porto Alegre, Editora Mediação, 2001

POPHAM, W. J.: Classroom assessment: What teachers need to know. Needham Heights, MA: Allyn and Bacon (1995).

SELDIN P. The teaching portfólio: a practical guide to improved performance and promotion/tenure decisiones. Boston: Anker, 1997.

SHORES, Elizabeth; GRACE, Cathy. Manual de portfólio. Tradução Ronaldo Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Fotos: Unsplash

Confira mais projetos e dicas em “Você Líder”: https://www.rededeexperiencias.com.br/voce-e-lider

Compartilhe nas suas redes

Um comentário em “Meu aluno aprendeu? Uma reflexão sobre avaliação na escola digital

  • 10 de junho de 2020 em 08:18
    Permalink

    muito divertido e espero ue outras pessoas também gostem !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *